segunda-feira, 5 de junho de 2017

Sobre eu não ser a mulher da sua vida

[Eu escrevi esse texto ha cerca de dois anos e meio atrás. Hoje, relendo, acrescentando coisas, apagando outras, adaptando pra minha fase atual e tentando entender aquela menina que escreveu, eu percebo que ainda carrego muito dela em mim, porque poucas coisas eu precisei alterar; percebo também que já sabia o desfecho desta história.
Apesar do coração ter endurecido um pouco, se fechando para o que antes me atingia brutalmente, eu ainda carrego essa quantidade absurda de sentimentos. Chamam de drama, mas eu chamo de sentimento. Chamam-me de sensível, de exagero, mas não me acho excessiva. Me vejo humana, num mundo onde muitos perderam essa humanidade, ao mesmo tempo que me vejo idiota. Não sei bem o que fazer com esse tanto de amor que existe em mim, então tento transformá-lo em palavras e deixar fluir. Talvez estale na lingua de quem lê, talvez entale em alguma garganta, ou esquente um coração, talvez não cause nada, mas o que importa é que todo o amor que eu tenho estou enviando na escrita e espero que ela seja sentida por quem lê tanto quanto é por quem está escrevendo.]


Eu não sou. Você me quer pra passar o tempo, pra ver um filme em casa, pra contar seus problemas e seus sonhos que outras pessoas achariam banais. Você me ama só na sua cabeça, porque seu coração não se agita perto de mim. Seu estômago não embrulha. Nem hoje, talvez nem no dia que nos conhecemos. Você me ama hoje, aqui, agora, mas dane-se o amanhã. Você tem preguiça de sair comigo. Você não quer me ver todos os dias e uma semana longe é pouco pra sentir minha falta. Você não tem vontade de fazer algo diferente, de me levar a lugares legais, de se divertir junto comigo. Dançar, sair, beber, comer, rir. Você não liga. Por isso eu sei que não sou a mulher da sua vida.
A problemática reside em: você acha que eu digo tudo isso porque espero muito de você. Tenho 20 anos, meu amor, mas minha cabeça, na maior parte do tempo, é de 40. Tive romances efêmeros, amores passageiros, paixões absurdas e rápidas, mas nenhum deles era o homem da minha vida, então dispensei cada um, porque não me relaciono por simples prazer de se relacionar, passei reto por essa fase. Eu me relaciono por amor, e o amor faz a gente pensar num futuro, num pra sempre.
Você foi o homem da minha vida. Por isso, talvez, foi o único que eu quis apresentar pra familia. Por achar que você um dia seria parte dela. Foi o único que me fez pensar no futuro. Você foi o homem da minha vida até o dia que eu notei que eu nunca fui a mulher da sua. Você me olha e não pensa em para sempre. Você me olha e não me vê, e não se importa em não ver. Você vive o agora comigo, porque nunca ao menos pensou que poderia haver um depois. Tudo isso, sabe por que? Porque você não quer um depois. Não comigo.
Quando a gente quer, a gente pensa em casar, ter dois filhos e um cachorro, sem nem perceber. A gente muda os planos loucos que tinha antes e aceita de olhos fechados passar a vida em um casa simples com uma conta vermelha no fim do mês. Mas você sempre queria mais, planejava coisas que sabia que não poderiam me incluir, pelo menos não por alguns anos.
Quando a gente ama, andar na praça de mãos dadas durante um dia fresco é suficiente. E você me disse certa vez "desculpa, mas eu não vejo graça em ficar na praça". Quando a gente ama, a gente quer sair, viajar, se divertir ao lado da pessoa. Mas você nunca está afim, você nunca quer, você nunca tem dinheiro, mesmo que eu pague.
Desculpa, mas pra mim não dá mais assim. Você teria sido o homem da minha vida, mas te faltou vontade de sê-lo. Você provavelmente não está afim de ser tudo isso na vida de alguém como eu, meio problemática, cheia de traumas e bloqueios e receios. Porque dá trabalho, tem que ter vontade, tem que querer, tem que se esforçar e você vai bocejar de preguiça só de imaginar.
Infelizmente, não deu. E não vai dar nunca mais porque eu não sei remendar laços que já rompi. E não sou mais mulher de voltar atrás em decisão, por isso eu demoro para agir, mas quando decido, não há mais nada a ser feito. Nas minhas orações, eu pedia tanto que você não me deixasse chegar nesse nível, pedi aos céus, a Deus, aos anjos, para não me deixarem tomar essa atitude que meu coração, cansado, pediu pra que eu tomasse. Mas você preferiu assim, você deixou chegar onde chegamos, mesmo que eu sonhasse todas as noites com o dia em que eu iria acordar e você iria dizer algo que me fizesse desistir da ideia de desistir de nós. Mas esse dia nunca chegou.
Todas as vezes que eu chorei perto de você por algum motivo da vida, e seus braços me acolheram tentando me acalmar, será que nunca percebeu que eu estava chorando também por um pouco de nós? Chorando porque sentia que a cada dia te perdia mais, e não podia evitar. Chorando porque talvez assim você quisesse passar mais tempo comigo, mas a gente não precisava se ver todo dia, né?
Você vai sentir falta, muita falta. Dos meus carinhos, dos meus beijos, da minha paciência, meu companheirismo. Mas você só vai entender o que eu to dizendo o dia que você encontrar uma mulher que te faça sentir o que eu sentia com você, que faça você querer casar, de um jeito que nenhuma nunca antes fez, nem mesmo eu. Quando você olhar para uma mulher, e sentir que não pode passar mais nenhum minuto da sua vida longe dela, você vai entender o que eu digo. E o quanto me dói dizê-lo, de tanto que eu quis ser essa mulher. Quando você ver a mulher da sua vida te deixando ir embora porque você não é o homem da vida dela, talvez você me compreenda.
Com tudo isso, eu não quis apontar culpados. Eu quis apontar sentimentos, aqueles sentidos e os não sentidos também. Quem sentiu e quem não sentiu. Quem ainda sente e quem já não sente mais. Com todas essas palavras, eu não quis jamais atacar, como eu sei que você vai achar, eu quis desabafar. Eu quis dizer tudo que tava engasgado e eu jamais conseguiria dizer olhando nos seus olhos, porque doeria demais e meu coração já está despedaçado.
Eu sinto muito, meu amor. Eu sinto muito por mim, por ter sentido muito. Eu sinto muito por nós e eu sinto muito por você. Porque eu sou dessas que sentem muito. E eu sinto muito por isso.


¹ O maior erro, nós sabemos, foi meu. Admito, confesso, e chego a ter ideias suicidas só de lembrar disso. Mas no fundo, apesar de ter errado feio com você, de uma coisa eu tenho certeza: o que aconteceu com a gente foi falta de amor. 
Faltou você me amar como eu te amo. Faltou eu me amar. como eu te amo. Me faltou amor de todas as partes, inclusive e principalmente da minha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)