sábado, 6 de junho de 2015

Esteja morena você aonde for

Entre tanta gente que vem a vai, você podia ficar. No auge do meu egoísmo, peço desculpas por te querer tão por perto, pequena. Sei que vai para os braços do mundo, e que os meus, tão frágeis, jamais poderiam te dar tanta liberdade assim. Sei que vai para ser feliz, pra se realizar, pra ver a vida de outro ângulo. Sei que essa vai ser a mudança que vai te enriquecer a alma, abrir os olhos e fazer palpitar o coração. E só porque sei de tudo isso, consigo não ficar tão brava com a vida e essa mania dela de afastar as gentes que gostamos tanto de ter perto.
Parece muito pra quem tá com você há tão pouco tempo, né, menina? Mas pra quê mais? Eu que achei, a primeira vista, que os santos não iriam bater, descobri que realmente não bateram, mas se abraçaram. Se abraçaram e não soltaram mais depois da viagem de empresa que nos colocou, por destino ou acaso, no mesmo quarto de hotel. Foi um curto tempo que me permitiu conhecer essa morena meio amarela, irmã meio gêmea, do cabelo e olhinhos castanhos, iguais aos meus ( ou os meus que são iguais aos dela?), e do piercing no nariz do mesmo lado que o meu.
E hoje ela vai embora para a cidade de onde eu vim embora. Ironias a parte, espero que tanta coincidência não seja só acaso, mas destino mesmo. Afinal, tem gente que é feita pra se encontrar muitas vezes com a gente na vida, né? Você é dessas que eu sei. Vai viajar o mundo, porque seu coração é tão guloso quanto o meu, grande, e quer tudo ao mesmo tempo. Hoje tá na bahia, amanhã em são paulo, e mês que vem acho que te encontro no Japão. Então fica combinado assim, viu? Você vai, e eu fico, depois inverte, e nessas esquinas do mundo, a gente sempre arruma um tempinho pra se esbarrar e tomar um chopp. Pode ser? 
Vai, que um pedaço teu fica no meu coração, e um pedaço meu você leva pra te fazer companhia quando a cidade parecer grande demais. Vai, que um dia eu vou também, ou você volta, ou a gente se encontra de algum jeito. Nesse mundo louco e grande, que cabe na palma da mão dessas pessoas como nós, viajantes. Vai, que a gente na vida foi feito pra voar, e quem sabe um dia a gente voe pro mesmo lugar.




" Passo essa canção pra te acalmar,

Esteja, morena, você onde estiver,

Achada no peito de um outro protetor, ou solta
Que a gente na vida foi feito pra voar
No vento que bate pra gente se secar "  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)