sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Eu peço somente o que eu puder dar *

Eu simplesmente não sei onde to errando. Faço e desfaço e me dobro inteira, e tudo por amor. Amor à vocês que me cercam. Nunca, absolutamente nunca, é por mim, acreditem ou não. Mas, no final das contas, eu to sempre sozinha nesse amor todo. Vai ver é sentimento demais pra suportarem, sei lá. Sei que qualquer pouco que vocês sintam por mim é tão pouco que, ao primeiro indício de que não estou sendo ou fazendo o que esperam, simplesmente viram a cara pra mim. 
Sabe, eu não sou ruim, não. Não sou injusta. Dramática, antissocial, crítica e exigente, ok, sou mesmo. Mas injusta não. E enquanto vocês vacilam a todo momento comigo e eu simplesmente engulo, passo por cima, porque sei que o amor que eu sinto por vocês é maior que as falhas que cometem, ninguém faz o mesmo comigo. 
As vezes nem mesmo cometo erro algum, apenas não estou disponível no momento que me querem disponível (como vivem fazendo comigo), e só isso já basta para que as palavras saiam secas e duras, e a cara se feche ou nem mesmo me olhem. Não entendo. Confesso que não entendo mesmo essa gente toda que leva tudo ao extremo e pensa que vale perder o dia ou as horas que tem com a pessoa ficando de mau humor. Não é lógico, não faz sentido pra mim.
Tenho meus dias também, não sou santa. Tem dia que a pessoa consegue me tirar do sério, mas ela tem que rebolar muito pra chegar nesse nivel. Todo mundo sabe que sou assim: ainda que esteja magoada ou brava com alguém, basta a pessoa chegar bem humorada, me tratando bem, ou mesmo tratando normal, que eu já me desarmo. Porque não sei desperdiçar tempo, tão curto, que tenho com quem eu amo. Perdi gente demais já pra ser boba e infantil a esse ponto. Desfaço a cara, descruzo os braços e me permito viver aquele momento independente do que tenham feito pra mim.
Não to pedindo nada que eu também não ofereça. Não estou dizendo que eu nunca falho. Mas me assusta essa falta de sentimento. Porque pra mim é isso: falta de amor. Brigar/discutir com alguém que você diz que gosta; ignorar, tornar-se frio ou distante; não aceitar certas coisas fazem o outro feliz. Não é amor. NÃO É. Eu sei muito bem o que sinto, e de forma alguma inclui qualquer tipo de coisa que possa, por um segundo, causar dor à alguém. Eu sei que é amor por isso: não sinto prazer algum em brigar, nem mesmo em discordar e não faço nenhum tipo de questão de estar certa, ou ficar com a razão no fim da conversa. Porque não faz sentido, entende? Se você gosta da pessoa, é totalmente absurdo que queira vê-la sofrer de alguma forma. Eu, pelo menos, sei que fico mal com isso. Talvez um dia saibam o quanto sou idiotamente sensível e o quanto um simples olhar diferente ou uma palavra mais dura me magoam. Talvez alguém leia isso e pense que estou exagerando, mas não. Sou essa total idiota mesmo.
A verdade é que eu só queria que vocês soubessem que me magoa muito essas bobagens que os levam a me afastar de alguma forma. Porque são bobagens e se, por causa delas, vocês desistem de mim, da minha presença, de falar comigo, então eu não to valendo muito em seus corações. Mesmo assim, eu vou engolir, passar por cima e tratá-los normalmente, porque os amo. Entendem? Vou passar por cima o tanto de vezes que precisar, todas, sem falta, porque é amor. E, até onde eu sei, até onde eu sinto, amor é isso. 

*Titãs - Porque eu sei que é amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)