sexta-feira, 7 de junho de 2013

Nota mental

Seguir em frente não significa que as coisas estão bem. Estou escrevendo agora só pra lembrar mesmo de tudo que acaba de passar pela minha cabeça, sabe como é, carrego um mundo dentro da minha mente. Você continua sendo amável com a vida, não é? Acho que é característica nossa, pena não termos notado esse fato em comum. Mas cada um de nós tem um peso, e um jeito próprio de carregá-lo. Cada um tem seu jeito de lidar, sabe? Consigo imaginar qual é o seu.
Eu pediria desculpas, se isso pudesse fazer com que tudo se resolvesse. Eu ficaria aqui, longe e perto da dor e do amor ao mesmo tempo. Eu me calaria, permaneceria sozinha. Eu morreria. Mas nada disso vai adiantar. Distâncias seguras para não machucar nenhum de nós - justificativas que já acostumei a usar. Talvez eu volte, mas o regresso também não trará benefícios. Não posso aceitar agora oportunidades que já passaram. Eu as perdi.
Quantos caminhos ainda restaram? Estou certa que são muitos, mesmo não sabendo muito bem para onde levam. Se eu for pra longe, posso te visitar um dia desses do futuro? Se ficar aqui, vai me esquecer pra sempre?
Eu voltaria também, mas as portas se fecharam quando fui embora. Estaríamos apenas nos enganando em uma sala lotada de becos sem saída, no fim das contas. Não seria tão ruim se soubéssemos exatamente o que dizer um ao outro ou quais palavras usar pra falar que não temos nada para falar. Acho que faria sentido pra mim todo e qualquer silêncio, seria como uma calmaria um pouco mais triste, porque a certeza impossibilita a gente de se manifestar, porém poderia soar desconfortável pra você. Não tem problema, eu cresci, eu sei das coisas como são e não são tão fáceis assim. Entendo, porque a gente aprende a aceitar né? A gente tem que aprender, mais cedo ou mais tarde. 
Mesmo assim, a música sempre toca no rádio, no celular de alguém próximo, sempre dá um jeito de chegar aos meus ouvidos, quase de propósito, e tenho a impressão que quase chega aos seus também. Como se para me lembrar de não esquecer disso nunca. Na verdade, de todas as coisas que lembro, algumas que aconteceram e outras que imaginei, consigo manter longe dos pensamentos só as que não te envolvem de alguma forma. As outras estão sempre presentes e me mantem navegando em um mar o qual sempre te vê em alguma das terras à vista. 
Ainda não sei de onde vem isso, se um dia vai acabar, mas se te enxergo de tão longe, talvez, você me enxergue também, ora afundando, ora boiando e, vez ou outra, nadando. E por que permanece longe dos meus braços e ao alcance dos meus olhos? São respostas ainda muito difíceis pra quem começa a questionar, sei disso, mas ouvi dizer que tudo tem um motivo para acontecer, não é? acho que você também teve motivo pra ter me acontecido e mantenho isso como lembrete em minha mente. Você agora é uma nota mental que me diz todos os dias, no mesmo horário, que coincidência é sorte demais e sorte não existe e se a gente acontece como acontecemos é por alguma razão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)