sábado, 30 de março de 2013

Ponte

Foi assim que eu descobri que a vida não consiste em felicidade constante. Os momentos de alivio, alegria e satisfação são meros momentos; apenas curtos períodos de tempo que nunca chegam a durar 24 horas. Nós somos constantemente depressivos e, as vezes, felizes. Como se felicidade existisse só para o 'estar' e não para o 'ser'. Mas a verdade é que todo mundo quer ser feliz. Aqueles que dizem estar à espera da morte só estão, na realidade, à procura da paz que ela pode trazer; à procura da alegria que se sente quando recomeçamos. Ninguém quer morrer por morrer, ninguém quer tristeza ou se afundar num poço de lágrimas sem fim. Ninguém gosta disso. O fato é que, quando dizemos estar cansados, estamos só usando palavras comuns para não termos que explicar toda a angústia que, as vezes, nos consome. E mesmo que dispensemos todos a nossa volta, o que na verdade queremos é ajuda, uma mão para segurar a nossa e um abraço que não irá nos soltar. Uma pessoa que não nos deixe cair no abismo dentro de nós mesmos, e não deixe isso tudo transbordar. Porque a felicidade conjunta é a única que permite um estado contínuo, é a única que oferece uma ponte de travessia quando a única coisa que se vê pela frente é uma queda infinita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)