sábado, 23 de fevereiro de 2013

Pra ser amor

Pra dizer que vou embora pra sempre e voltar depois de 2 horas com cara de quem sabe que não consegue ficar longe. Pra te ver planejar, e te dizer que planos só trazem expectativas e elas só viram frustrações, nunca realidade. Pra te ouvir me chamar de pessimista, rir e acabar achando que, uma vez na vida, alguém ia finalmente conseguir me fazer ver o amanhã com bons olhos. Pra te escrever assim, rápido e fácil, leve de um jeito bonito, de um jeito intenso, de um jeito sincero. Pra não conseguir nem editar, de tão puro, de tão raro, de tão completo o sentimento. Pra não precisar morrer quando você passar pela porta, por saber que vai voltar todos os dias. Pra não ter medo que não volte, por saber que volta sempre, de qualquer jeito, por não ter mais dúvidas, quases e nem talvez. Pra não ter mais a casa escura, os cômodos vazios e eu e minhas músicas e livros, solitários, acompanhados uns pelos outros, apenas. Pra não ser perfeito, mas pra sentir que é bom, que é real, que é pra ser exatamente o que é, torto ou errado que for. Pra ficar assim, tudo meio jogado, meio louco por ser muito sentimento pra caber na coerência das palavras. Pra ser o que Deus quiser que seja. Pra ninguém conseguir entender, porque quanto mais confusa é a explicação, maior é o que está tentando ser explicado. Pra não ser pouco nunca. Pra ser meu e seu ao mesmo tempo e, quem sabe, virar nosso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)