domingo, 6 de janeiro de 2013

Para 2013

Dos 365 dias de 2012, mais da metade me matou. O mundo acabou pra mim várias vezes nesse ano que acaba de se despedir. Todas as vezes eu acabei encontrando uma maneira de continuar caminhando, mesmo que nem sempre pra frente. Não foi fácil saber para qual lado eu deveria ir, quando o planeta parou de girar. Quando o mundo virou de ponta cabeça, não foi fácil descobrir uma maneira de me manter presa à ele, não foi fácil evitar a queda no abismo, não foi fácil andar com os cabelos pra cima. Quando virou do avesso, foi muito difícil aprender a respirar o ar rarefeito. Os dias, todos, foram um fim sem fim. Cada um, atravessado com grande esforço, porque nem sempre a força de vontade estava presente. 
Mas agora eu acho que sou eu de uma forma muito mais única, aprendi a me ser com tudo de bom e ruim que trago, com tudo que é meu. Sou eu de verdade, com todas as formas de mim que tentei ocultar e esconder, e fazer parar de existir. Sou eu com poucos, pouquíssimos, planos, um desejo de ser surpreendida pela vida e uma ânsia por mudança, novos caminhos, novas pessoas. Um ânsia pra esquecer o que ficou pra trás, e lembrar que passado tem que ficar no passado. Ir pra frente, sem desviar. Olhar sempre pro horizonte, com a certeza que algo bom vai acontecer; tem que acontecer. E eu sei que mereço qualquer coisa boa que puder acontecer, e mereço muito e agora não tenho mais medo de merecer. Quero tudo que me quiser, aceito os lucros da vida sem culpa, porque sei que não estou roubando nada, é só a colheita do que eu tanto plantei e deixei que colhessem no meu lugar. Parei de ter medo de aceitar a felicidade, por achar que não era digna dela. Porque sou, sim, muito digna de tudo de bom que puder e quiser vir. 
Dos 365 dias de 2013, todos serão meus. Vou respirar pra mim, por mim, pra viver, pra me realizar. Que haja amor, amizade e tudo que houver. Depois de apanhar muito, sofrer um bocado, e chorar uns rios, eu quero, preciso e posso ser feliz. Me acho nesse direito. Me tenho certeza desse direito. Tomo posse dele, porque é meu. Desculpa, amores, familia, amigos. Mas 2013 eu quero pra mim. Meu ano, meus dias, meus meses. Minhas experiências, meus sorrisos. Nada de sonhos, só realizações. Você que fica aqui, me perdoe se eu esquecer de ligar todos os dias, mas eu vou viver esse ano. Vou viver cada dia que eu não vivi dos anteriores. Vou embora pra onde for que me fizer sorrir mais, vou com saudade no coração, com a lembrança de vocês, mas com vontade de ir. Sinto muito, mas as minhas vontades, opiniões e gostos serão minhas prioridades. Esse negócio de ficar aqui por alguém, de fazer tudo sempre por outra pessoa, me enjoou muito. É por mim agora. 
Se não podem lidar com esse pouquinho de amor próprio que resgatei, então não servem pra minha nova vida, pro meu novo ano. Depois de anos e anos tirando tudo de mim, e dando tudo pra quem eu achava que merecia, espero que mostrem, pelo menos, que mereciam mesmo tanto amor e entendam que eu preciso viver a minha vida, e fiquem felizes por mim. Nem que isso custe uma distância, uns sumiços, poucas satisfações. Entendam que não é egoísmo, é só um resgate de mim mesma, um amor pelo que eu sou e não quero nem vou deixar de ser. Se não podem entender, é porque nunca me amaram. E eu estou me amando, muito e com toda razão, com meus problemas, erros, tortices e aberrações. Com todas minhas palavras repetidas, meus óculos de grau, minhas espinhas, estrias, gorduras, celulites e risadas altas e nada femininas. Me amando, com orgulho, e tô fora de quem não puder me amar também. 
Vai doer um pouco me livrar de quem eu amava e não me amava de volta, mas, quer saber, vai ser um alívio parar de carregar peso inútil, fazer novas malas só com quem merece estar nelas e seguir meu caminho, meu e só meu. Minhas escolhas, minhas decisões, tudo baseado no que é melhor pra mim. Vai ser triste dar adeus, mas vai ser uma tristeza leve, até boa, uma tristeza válida. Pesos inúteis só atrasam, amores errados só complicam. E eu quero viver a vida na hora marcada pra viver, quero chegar na festa do meu destino no horário previsto, porque a festa é pra mim. Para 2013, eu quero só o essencial na bagagem, muito espaço para novas coisas e leveza no coração. Nada de listas, de sonhos, de expectativas, só a certeza de estar indo em frente, e indo por querer, por mim, pra mim, pra ser feliz.

Um comentário:

  1. Learning to walk again :) http://letras.mus.br/foo-fighters/1832712/

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)