quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Ciúme

Eu achava ele perfeito e o descobri afundado em falhas. Você vivia me elogiando como se eu fosse a última das melhores mulheres do mundo, e agora vai ver o quanto também estava errado.
Por gostar muito de você e tentar não partir seu coração, esclareci as coisas. Coloquei os pingos nos i's, cortei todos os t's. Arrisquei perder um amigo que eu nunca tinha tido igual, com quem eu me sentia tão a vontade a ponto de não ver problemas em ser eu mesma. A ponto de até gostar de ser assim, porque você fazia com que eu parecesse muito melhor e mais divertida que eu realmente sou. 
Você sempre fez com que eu ficasse muito mais solta e, perto de você, acho que eu realmente era a pessoa mais legal do mundo. Eu ficava encantada com o modo como você ria das minhas graças e piadas, porque ninguém nunca as achou, de fato, dignas de riso. Ninguém nunca riu daquele jeito pra mim. Ninguém nunca me aguentou por tantas manhãs seguidas achando que isso era melhor coisa do mundo . Mas eu joguei tudo isso pro alto quando o seu coração entrou no jogo, porque você era e ainda é bom demais pra ser magoado, principalmente por alguém como eu.
Poder fazer você feliz e enfim estar ao lado de alguém que eu sabia que gostava de estar perto de mim também era algo totalmente novo na minha vida. Ver um par de olhos que, finalmente, brilhavam na minha direção e não de todas as outras garotas era tudo que nunca tinha acontecido comigo. Mas acontece que isso nunca valeu o seu coração, e eu abri mão de todo esse bem que você me fazia em nome do seu próprio bem. Ao deixar claro qual seria a nossa relação, você se afastou e eu aceitei, tive que aceitar. Tive que dar a distância que você precisava que eu desse. Mas não vou dizer que foi fácil te ver todos os dias e me fazer entender que eu não podia mais simplesmente chegar ali perto de você e ficar, e te abraçar e rir da sua cara.
Hoje, te vendo de longe, não conversando mais com tanta frequência e sabendo que agora você, enfim, encontrou alguém que pode oferecer o que eu nunca pude, eu confesso: estou com ciúmes, e não é qualquer ciuminho bobo, estou morrendo de ciúmes de vocês e de como ela é toda sorrisos na sua frente e de como você se derrete nela. Obviamente você estava cego demais na época, achando que eu era a perfeição em pessoa, pra poder notar que também sou humana e que, algumas vezes, sou egoísta. Não pense errado, eu quero muito que você seja feliz, ainda mais se for com alguém que tem os mesmos interesses que você. Mas a gente era tão amigo e você me fazia rir de um jeito tão espontâneo que tenho medo de nunca mais achar alguém que possa surtir o mesmo efeito em mim. Tenho medo de não existir uma pessoa que possa me fazer gostar de ser eu, como você fazia.
Mas seria maldade minha continuar naquela situação que eu não poderia mais sustentar só pra ver seus olhos brilhando pra mim. Porque eu quero que esses olhinhos sorridentes em forma de meia lua possam brilhar só pra quem tiver olhos brilhantes também; olhos que brilhem por você também. Eu quero sua felicidade, seu amor correspondido. Eu quero o que a vida puder te oferecer de melhor, mesmo que o melhor pra você seja ficar longe de mim. Por isso, de longe e sem que você saiba, te escrevi tudo isso e você bem sabe que não escrevo pra qualquer um. Espero que você não leia nada disso, mas que saiba, de algum modo, que eu sempre te amei muito, que falei sério quando disse que te considerava mais que um amigo, que tudo que eu menos quis foi te magoar e foi só por não querer te magoar que a gente se afastou desse jeito. Tô me mordendo de ciúmes dessa sua nova companhia, não nego, mas realmente espero que ela te faça feliz de um jeito que eu nunca poderia te feito.

Um comentário:

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)