sábado, 12 de janeiro de 2013

A Bela e a Fera

De todas as palavras bonitas que já te escrevi sem você saber, nunca pensei que não restaria uma para a hora de dizer adeus. De todos os sentimentos sinceros que te dediquei em silêncio, jamais pude imaginar que algum me faria mal. Mas faz. Agora está fazendo, embora eu não queria acreditar.
Não sei se você descobriu que tenho escrito muito sobre e para você. Mas, de todas as vezes que eu disse que achava que você ia me achar louca se lesse as coisas que eu (te) escrevo, todas foram blefes. Porque sempre usei as melhores palavras do meu vocabulário pra você, e não pensei realmente que me acharia louca ao descobrir, mas agora eu acho que acha. E eu prefiro acreditar que você se afastou por ter lido tudo isso e me achado louca, do que por simples vontade própria, ou por não dar a mínima.
Nunca pensei que chegaríamos ao ponto de não mais nos falarmos, mesmo que antes você tivesse a mania de me responder em 3 palavras o que eu te escrevia em 3 linhas. Ou que eu chegaria ao nível de estar escrevendo um texto que não te faz parecer um ser divino. Ou que você chegaria num ponto de não me incluir mais nas suas listas de convidados, de não querer que eu estivesse por perto ou até pior, de não lembrar de me mandar o convite e não dar por minha falta nos eventos. Nunca pensei porque acho que isso é meio brutal pra se fazer com uma pessoa, e mais brutal ainda vindo de alguém como você, que eu sempre acreditei ser doce.
Na verdade, o que eu pensei é que teria coisas boas pra te dizer quando fosse anunciar minha partida, porque eu sempre tive apenas palavras bonitas pra você, mas agora não sei se você as merece. 
Eu que tanto me subestimei, principalmente quando comparada à você, e sempre achava que não estava a sua altura. Eu que tanto achei que jamais poderia te merecer e ser pra você alguém especial, agora acho que é você quem não está me merecendo. Olha a ironia! Logo eu que passei esse tempo todo acreditando que nosso conto de fadas estava com os papéis invertidos, porque você era o bom da história e eu era a fera, estou começando a achar que nunca deixamos de ser exatamente quem fomos designados pra ser, a bela e a fera, sem personagens invertidos. 
Antes, para mim, sempre tão bonito em tudo que fazia, sempre inalcançável demais. Agora não sei mais se essa beleza toda, um dia, existiu e eu quero muito acreditar que sim. Quero acreditar que não inventei você daquela maneira, que não me enganei daquele jeito. Quero acreditar que você não está fazendo de propósito e nem está fugindo de mim, porque eu não sou um monstro pra você correr pro lado oposto ao meu. 
Quero acreditar que, no fundo, você é mesmo assim, muito bom em tudo, como eu pensei que fosse. Quero rir da minha própria cara por pensar, ainda que por alguns segundos, que você não fosse tudo isso. Quero acreditar, muito mesmo, que ainda tenho palavras bonitas pra você guardadas em algum lugar e que você as merece sim, como sempre achei que merecia. Quero e preciso acreditar que não deixei de acreditar no amor que sinto e que, em algum lugar, ele ainda está vivo, esperando você vir buscá-lo, esperando que você o mereça. Quero acreditar em você outra vez, e nas qualidades que sempre acreditei serem suas. Quero acreditar em nós, quero muito, mas contos de fadas não passam a existir só porque a gente quer acreditar que existem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)