quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

20 segundos

Uma vez eu li uma frase que dizia que tudo que precisamos é 20 segundos de coragem insana, e aí eu parei na sua frente e disse: 
- Você tem 20 segundos? Porque, se tiver, eu vou usá-los pra dizer que te amo. É, amo mesmo, e nem vem dizer que não fazia ideia porque só faltou eu pedir dinheiro na rua pra te mostrar isso. Amo e só to te falando agora porque tive uma crise de muita coragem, então não me interrompa porque eu vou me arrepender no vigésimo primeiro segundo. Amo e acho maravilhoso que ninguém mais te ache tão maravilhoso. E adoro o seu jeito meio descontraído, sua pose de popular. Quis te abraçar 300 vezes só agora, e não sei ficar triste quando você tá perto. Me desdobrei pra ir em todos os lugares que você me chamou pra ir, e fiz o maior sacrifício pra te ver. Falei todas as coisas que sempre quis dizer pra alguém e que você sempre quis ouvir, mas parece que sua ficha nunca caiu. Então, ta entendendo agora? Quer que eu desenhe? Gosto do seu cabelo com corte de criança, da sua magreza que te faz parecer um adolescente, e da sua fala presa. Gosto do seu instrumento só porque você fica bonito tocando ele, parecendo um rock star. Gosto das suas mil camisas xadrez, e do seu grupo de amigos. Gosto, entendeu? Gosto muito. Amo. Deu pra sacar? Corri feito louca pra não perder o ônibus que me levava para onde você estava, perdi aulas, tomei chuva, e coloquei nas redes sociais todas as letras de músicas que poderiam te dizer alguma coisa. Você nunca notou, nunca percebeu, nunca nem desconfiou. Mas é isso. Eu amo você. Pode rir, pode me mandar falar devagar porque eu sei que falo rápido e gesticulando demais, pode reclamar que já passou bem mais de 20 segundos porque não sei resumir as coisas, pode achar que eu to confundindo tudo e pode dizer que você não sente o mesmo, mas, pelo amor de Deus, diz que agora você sabe! Diz que eu posso parar de tentar demonstrar isso de todas as formas! Não precisa dizer que me ama também, mas diz, por favor, que sacou que eu não sou apenas uma amiga, uma conhecida que fica inexplicavelmente feliz na sua presença.
Mas aí você riu e disse que tinha mesmo que ir, porque 20 segundos acho que pareceram muito pra você perder comigo e minha crise momentânea de coragem absurda.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Encrenca

Eu sou a destruidora de corações, a menina complicada que vai entrar na sua vida só pra virar ela de ponta cabeça. Eu sou a escolha errada, o problema disfarçado de solução e não vou dizer que sou inocente. Então, para seu próprio bem, não se aproxime de mim. Minha vida vai te afogar devagar, minha rotina vai te sufocar. Meus problemas vão te engolir vivo, porque não tenho nada a oferecer, nada que não vá te fazer mal.
Me perdoa, mas o melhor que você pode fazer é passar reto por mim. Só eu sei o quanto vai doer, mas tudo que eu não poderia suportar é machucar você, então tudo bem. Então eu aceito todo tipo de dor que vier, desde que ela caiba apenas em mim; desde que ela jamais atinja seu coração também.
Porque você não foge? corre enquanto é tempo, se esconde e lembra de não perguntar nem meu nome. Eu sou encrenca, meu amor, não por vontade própria, mas porque a vida quis assim. Reconheço, admito, carrego o fardo. Sou erro, falha das feias, atalho pra a rua sem saída. Desculpa, mas sou tudo que você não precisa na sua vida. Sou perda de tempo, atraso no relógio.
Vai embora enquanto ainda pode, enquanto eu ainda não te decepcionei, ou despedacei, ou magoei. Vai embora enquanto eu ainda estou sob efeito do ultimo pingo de altruísmo que restou em mim; enquanto eu ainda consigo te mandar ir. E, se quer um conselho, não volte, não olhe pra trás, não lembre de mim. Esqueça que, um dia, você achou que eu era a salvação e, se for pra lembrar, lembre apenas de me esquecer.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

231 (ou mais) novas flores

E é no meio de tantas palavras presas na garganta, tanto choro que sai tropeçando no peito que eu tento lhes consolar. No meio de tanta alegria que virou desespero, eu deixo meu pensamento abraçar quem ficou porque sei como é essa sensação. E eu abraço-lhes com tanto amor que mal cabe em mim, sinto o peso dessas perdas como se fossem minhas também, porque todo mundo perdeu. O país, a família, os amigos e os que, um dia, viriam a conhecer esses tantos jovens. E quem é que sabe o que aconteceu? Quem é que sabe o propósito de tanta dor? Muitos olhos, talvez, terão o dom de enxergar a grandeza disso tudo, um dia, mas eu também sei que algumas coisas são difíceis de se ver, porque, nesses casos, nossas vistas ficam encobertas por nuvens grossas de tristeza. Perder é como não entender a piada e é só o amor que salva, que acolhe e que ameniza. Muitas vezes o consolo, o abraço e o calor humano não são suficientes, eu sei, mas tem algo maior que isso. Deus tem um plano, uma boa obra, pra ser realizada nessas vidas. Ninguém esperava que fossem sair de casa com os amigos e ir parar dentro de um caixão. Ninguém imaginava que tantos sonhos morressem asfixiados, mas faltou ar para os pulmões, para a vida, para os projetos. E agora? A vida que segue não será mais a mesma e muitos choros ainda hão de vir. Mas quem tiver esse amor perfeito habitando em si, por nada há de desistir, de abater-se. Porque existe um porquê, uma explicação, um entendimento, ainda que não caiba nas nossas mentes. E eu desejo que, o que não puder ser compreendido, seja aceitado. Porque muitas flores morrem diariamente num jardim, mas são as sementes que ficam que devem ser lembradas e cabe a vocês regá-las a partir de agora. O que já foi não vai voltar e temos que deixar que se vão, mas o que ficou pode sempre ser restaurado, cuidado e amado; pode ser regado até que volte a florescer novamente, e eu sei que voltará.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Ciúme

Eu achava ele perfeito e o descobri afundado em falhas. Você vivia me elogiando como se eu fosse a última das melhores mulheres do mundo, e agora vai ver o quanto também estava errado.
Por gostar muito de você e tentar não partir seu coração, esclareci as coisas. Coloquei os pingos nos i's, cortei todos os t's. Arrisquei perder um amigo que eu nunca tinha tido igual, com quem eu me sentia tão a vontade a ponto de não ver problemas em ser eu mesma. A ponto de até gostar de ser assim, porque você fazia com que eu parecesse muito melhor e mais divertida que eu realmente sou. 
Você sempre fez com que eu ficasse muito mais solta e, perto de você, acho que eu realmente era a pessoa mais legal do mundo. Eu ficava encantada com o modo como você ria das minhas graças e piadas, porque ninguém nunca as achou, de fato, dignas de riso. Ninguém nunca riu daquele jeito pra mim. Ninguém nunca me aguentou por tantas manhãs seguidas achando que isso era melhor coisa do mundo . Mas eu joguei tudo isso pro alto quando o seu coração entrou no jogo, porque você era e ainda é bom demais pra ser magoado, principalmente por alguém como eu.
Poder fazer você feliz e enfim estar ao lado de alguém que eu sabia que gostava de estar perto de mim também era algo totalmente novo na minha vida. Ver um par de olhos que, finalmente, brilhavam na minha direção e não de todas as outras garotas era tudo que nunca tinha acontecido comigo. Mas acontece que isso nunca valeu o seu coração, e eu abri mão de todo esse bem que você me fazia em nome do seu próprio bem. Ao deixar claro qual seria a nossa relação, você se afastou e eu aceitei, tive que aceitar. Tive que dar a distância que você precisava que eu desse. Mas não vou dizer que foi fácil te ver todos os dias e me fazer entender que eu não podia mais simplesmente chegar ali perto de você e ficar, e te abraçar e rir da sua cara.
Hoje, te vendo de longe, não conversando mais com tanta frequência e sabendo que agora você, enfim, encontrou alguém que pode oferecer o que eu nunca pude, eu confesso: estou com ciúmes, e não é qualquer ciuminho bobo, estou morrendo de ciúmes de vocês e de como ela é toda sorrisos na sua frente e de como você se derrete nela. Obviamente você estava cego demais na época, achando que eu era a perfeição em pessoa, pra poder notar que também sou humana e que, algumas vezes, sou egoísta. Não pense errado, eu quero muito que você seja feliz, ainda mais se for com alguém que tem os mesmos interesses que você. Mas a gente era tão amigo e você me fazia rir de um jeito tão espontâneo que tenho medo de nunca mais achar alguém que possa surtir o mesmo efeito em mim. Tenho medo de não existir uma pessoa que possa me fazer gostar de ser eu, como você fazia.
Mas seria maldade minha continuar naquela situação que eu não poderia mais sustentar só pra ver seus olhos brilhando pra mim. Porque eu quero que esses olhinhos sorridentes em forma de meia lua possam brilhar só pra quem tiver olhos brilhantes também; olhos que brilhem por você também. Eu quero sua felicidade, seu amor correspondido. Eu quero o que a vida puder te oferecer de melhor, mesmo que o melhor pra você seja ficar longe de mim. Por isso, de longe e sem que você saiba, te escrevi tudo isso e você bem sabe que não escrevo pra qualquer um. Espero que você não leia nada disso, mas que saiba, de algum modo, que eu sempre te amei muito, que falei sério quando disse que te considerava mais que um amigo, que tudo que eu menos quis foi te magoar e foi só por não querer te magoar que a gente se afastou desse jeito. Tô me mordendo de ciúmes dessa sua nova companhia, não nego, mas realmente espero que ela te faça feliz de um jeito que eu nunca poderia te feito.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Auto perdão

Perdão era o que eu estava buscando. Toda essa angústia em andar atrás de alguma coisa que eu não sabia o que era, e era isso, sempre foi. Na verdade, eu sempre soube, e vivi desde então me desculpando com Deus, com meus pais, cada amor, cada amigo. Me desculpando nas ruas cheias de gente. Só que nunca adiantou. Sempre faltava o sentimento de se sentir perdoada. O peso era sempre o mesmo, o peso da culpa e da mágoa presos no mesmo corpo, implorando pra serem perdoados, suplicando para perdoar. E eu enfim descobri: era o meu perdão que busquei. De todas as pessoas que me decepcionaram, era a mim que estive tentando perdoar, e eu quis me perdoar tantas vezes que só não o fiz por orgulho de pedir desculpa pra mim mesma. Porque de todas as culpas que possamos atribuir a todas as pessoas, aquela que fazemos caber em nós mesmos é a que mais faz doer a consciência. De todas as mágoas que possamos ter de pessoas que não se importaram em pedir perdão, a maior é a que temos de nós mesmos. 
E que eu possa saber me perdoar por sempre ter me redimido, mas nunca ter me perdoado.

sábado, 12 de janeiro de 2013

A Bela e a Fera

De todas as palavras bonitas que já te escrevi sem você saber, nunca pensei que não restaria uma para a hora de dizer adeus. De todos os sentimentos sinceros que te dediquei em silêncio, jamais pude imaginar que algum me faria mal. Mas faz. Agora está fazendo, embora eu não queria acreditar.
Não sei se você descobriu que tenho escrito muito sobre e para você. Mas, de todas as vezes que eu disse que achava que você ia me achar louca se lesse as coisas que eu (te) escrevo, todas foram blefes. Porque sempre usei as melhores palavras do meu vocabulário pra você, e não pensei realmente que me acharia louca ao descobrir, mas agora eu acho que acha. E eu prefiro acreditar que você se afastou por ter lido tudo isso e me achado louca, do que por simples vontade própria, ou por não dar a mínima.
Nunca pensei que chegaríamos ao ponto de não mais nos falarmos, mesmo que antes você tivesse a mania de me responder em 3 palavras o que eu te escrevia em 3 linhas. Ou que eu chegaria ao nível de estar escrevendo um texto que não te faz parecer um ser divino. Ou que você chegaria num ponto de não me incluir mais nas suas listas de convidados, de não querer que eu estivesse por perto ou até pior, de não lembrar de me mandar o convite e não dar por minha falta nos eventos. Nunca pensei porque acho que isso é meio brutal pra se fazer com uma pessoa, e mais brutal ainda vindo de alguém como você, que eu sempre acreditei ser doce.
Na verdade, o que eu pensei é que teria coisas boas pra te dizer quando fosse anunciar minha partida, porque eu sempre tive apenas palavras bonitas pra você, mas agora não sei se você as merece. 
Eu que tanto me subestimei, principalmente quando comparada à você, e sempre achava que não estava a sua altura. Eu que tanto achei que jamais poderia te merecer e ser pra você alguém especial, agora acho que é você quem não está me merecendo. Olha a ironia! Logo eu que passei esse tempo todo acreditando que nosso conto de fadas estava com os papéis invertidos, porque você era o bom da história e eu era a fera, estou começando a achar que nunca deixamos de ser exatamente quem fomos designados pra ser, a bela e a fera, sem personagens invertidos. 
Antes, para mim, sempre tão bonito em tudo que fazia, sempre inalcançável demais. Agora não sei mais se essa beleza toda, um dia, existiu e eu quero muito acreditar que sim. Quero acreditar que não inventei você daquela maneira, que não me enganei daquele jeito. Quero acreditar que você não está fazendo de propósito e nem está fugindo de mim, porque eu não sou um monstro pra você correr pro lado oposto ao meu. 
Quero acreditar que, no fundo, você é mesmo assim, muito bom em tudo, como eu pensei que fosse. Quero rir da minha própria cara por pensar, ainda que por alguns segundos, que você não fosse tudo isso. Quero acreditar, muito mesmo, que ainda tenho palavras bonitas pra você guardadas em algum lugar e que você as merece sim, como sempre achei que merecia. Quero e preciso acreditar que não deixei de acreditar no amor que sinto e que, em algum lugar, ele ainda está vivo, esperando você vir buscá-lo, esperando que você o mereça. Quero acreditar em você outra vez, e nas qualidades que sempre acreditei serem suas. Quero acreditar em nós, quero muito, mas contos de fadas não passam a existir só porque a gente quer acreditar que existem.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Tem muita coisa errada dentro da gente, mas, no fundo, deve ter algo bom. Tem que ter alguma coisa boa, porque, sabe, todo mundo merece ser feliz, afinal. Todo mundo merece sorrir de vez em quando.
Mas parece tão mais fácil dizer como tudo deveria ser. Mais fácil que tentar fazer ser assim. Eu só queria ser mais simples, e ser feliz um dia e poder rir de um jeito sincero, do meu jeito. Rir pra disfarçar, pra fazer feliz quem está por perto ou por obrigação é algo que eu tenho feito muito, quase que automaticamente, pra não magoar quem me ama. Mas eu só queria rir de verdade, ser feliz de verdade. Ou, se fosse pedir muito, eu só queria não chorar baixinho e abafando com o cobertor todas as noites antes de dormir.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Quando sempre é sempre nunca

Você sonha, você pede, você chora e tudo que consegue é uma porta fechada, um não e um fracasso. Eles dizem que é porque você quer tudo ao mesmo tempo, mas ao menos alguma coisa você poderia conseguir, não precisava ser tudo, desde que fosse alguma coisa. Aí você tenta de novo, e outra vez, e novamente. E nada muda, porque a porta está sempre fechada e não existe janela. E tudo o que você quer você vê passar, e vê todo mundo que não seja você mesmo conseguir. Porque tudo dá sempre certo quando é pra dar, mas com você parece que nunca é chegada a hora. Parece que o tempo da sua vez nunca chega, porque talvez tenham esquecido que seus sonhos também querem virar realidade. Talvez tenham esquecido que você não quer ser só um sonhador pra sempre. Mas você é jovem, e tudo que sabem sobre os jovens é que eles choram a toa e acham que o mundo vai acabar amanhã, e ninguém liga se você não fez nada que planejou, porque sempre acham que você planeja demais, e tem tempo pra fazer depois. Mas tempo é tudo que não se tem hoje em dia, é tudo que se quer e não se pode ter. Mas tudo que dizem é que não faz sentido você ficar triste por perder, porque um dia a gente ganha e outro a gente perde, só que ninguém viu que você perdeu ontem também, e anteontem, e semana passada inteira. Você só quer ganhar uma vez na vida, só quer ser feliz, mas é difícil com tanta gente falando assim, e é mais difícil quando você vê que não é só a sujeira que está escoando para o ralo. E você tenta de novo, porque desistir é coisa de gente fraca e não te deixam fraquejar, e aí quebra a cara mais uma vez. E enfim pensa que talvez tenha gente assim, como você, que foi programado pra ser sempre o que é, porque virar alguma coisa boa não é pra esse tipo de gente. Porque tem gente que nasce para brilhar, e você talvez, tenha sido feito pra lidar com a manutenção da rede elétrica dos que brilham. Você talvez, não vire mesmo nada, porque a resposta pra você é sempre nunca. E dizem tanto que isso não é o fim do mundo, e, na verdade, não é mesmo, porque o mundo já acabou. Quando você desistiu de achar que poderia servir pra alguma coisa, tipo ser feliz, já havia fogo no planeta. E não há nada que possam ou queiram fazer, porque tudo que sabem é dizer que amanhã vai melhorar. Só que é mentira e chega uma hora que a gente cansa de ouvir tantas mentiras. Porque tem vezes que não melhora mesmo, e tudo que você consegue fazer é tentar não se matar. Não importa o quanto digam que você está exagerando, porque as vezes a vida é que exagera nas trapaças e esquece que você é meio inocente nesse jogo, e sempre cai nas armadilhas. A vida esquece que você quer vivê-la, e te coloca só pra assistir porque acha que você não tem porte pra viver, você não serve pra ser feliz também. E, você, meu caro, acostumado ao fracasso, senta e assiste, e, as vezes, até dá risada da felicidade alheia e pensa em como queria que a vida fosse desse jeito: como na televisão, mas não é a tv. É a vida, só que nunca é a sua.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Bastidores

O problema é essa minha mania de querer te fazer caber em qualquer verso cantado que eu ouço. Essa minha busca por alguma canção que possa dizer tudo que eu queria te dizer, e não sei. Essa minha caça incessante à qualquer coisa que me lembre você, quando, na verdade, eu deveria estar tentando esquecer. Nunca pensei que não haveria musica alguma no mundo que se encaixasse no que nós somos agora, mas era óbvio, porque nada se encaixa quando se trata da gente. Nós mesmos não nos encaixamos, porque eu estou longe de ser cheerleader, enquanto você é o típico galã do time. Mas é tão clichê isso de sempre ter uma música envolvida. Por que com a gente tem que ser diferente? Assim, sempre tão diferente?! Por que nossa situação não pode ser descrita através de uma letra melodiosa também? Pra eu poder ligar o rádio e achar que é um sinal quando tocar aquela música, pra gente poder olhar um pro outro quando ouvir as primeiras notas da canção. 
Mas não conseguimos chegar nesse ponto, nem a outro ponto qualquer. Porque só os protagonistas do filme ganham musicas e efeitos especiais, e eu, pra variar, estava na equipe que está por trás das câmeras, enquanto você, obviamente, estava à frente. Acabei por cansar de procurar qualquer vestígio de uma união entre palavras e sons, que pudessem significar alguma coisa pra mim, ou talvez pra você, quem sabe para ambos.
Acho que tudo isso começou quando você veio caminhando na minha direção. Te ver andando pra mim foi algo que eu não queria que fosse apenas normal, eu quis uma câmera lenta, uma trilha sonora, um plano de fundo e não houve som algum além dos seus passos batendo na madeira. Dali do centro das atenções, você veio falar comigo. Veio fazer companhia pra quem estava sozinha, arrumando os detalhes finais, para dizer que a roupa tinha mesmo ficado boa. E não teve canção alguma que pudesse dizer o que foi aquele momento, e mesmo assim eu imaginei ela tocando enquanto você caminhava na minha direção. Parecia mesmo um filme, mas não era.
Tive vontade de dizer que qualquer coisa ficaria bom em você, mas não achei melodia que combinasse com essa junção de letras; não fui tão rápida. Antes que pudesse falar esse tipo de besteira, assim, sem um instrumento ao fundo, me vi aceitando o pedido pra abotoar sua camisa, já que eu era a estilista. Os dados, eu acho, foram jogados aquela hora e nada, além do silêncio, ecoou através do auditório. Fui parar no meio do tabuleiro de um jogo que eu nunca ganho, e fiquei sem saída.
Você estava ótimo naqueles trajes reais, e, naquele momento, eu teria feito qualquer coisa pra ser o alvo do seu amor, ou, pelo menos, do amor do seu personagem. Eu teria aceitado que a gente fosse se gostar só na ficção, só por alguns minutos, com alguma trilha sonora já conhecida, nem precisava ser exclusiva para nós. Só pra saber qual seria a sensação de ver seus olhos brilhando ao encontrar os meus. 
Naquele instante, eu descobri que você não era alto, e pelo primeira vez, não liguei pra isso. Eu vi que não tinha uma barba crescendo no seu rosto, e não dei a mínima. Eu soube que você não era viciado em futebol, como todos os homens do mundo, e até gostei de saber. Tudo que nos outros homens era defeito antes, aos meus olhos, em você era apenas detalhe.
Ali, aprontando o palco pra que você subisse nele e se declarasse pra outra menina ao som de uma bela melodia e aplausos,, eu descobri o quanto eu queria ser essa menina, porque, pra vocês, teve música e, não bastando que ela estivesse sendo tocada ao vivo, só pra os dois, vocês a dançaram. E eu fiquei nos bastidores outra vez, assistindo a cena correr exatamente como o ensaiado e me sentindo como a rosa que teve suas pétalas arrancadas e jogadas pelo palco - despedaçada.

domingo, 6 de janeiro de 2013

Para 2013

Dos 365 dias de 2012, mais da metade me matou. O mundo acabou pra mim várias vezes nesse ano que acaba de se despedir. Todas as vezes eu acabei encontrando uma maneira de continuar caminhando, mesmo que nem sempre pra frente. Não foi fácil saber para qual lado eu deveria ir, quando o planeta parou de girar. Quando o mundo virou de ponta cabeça, não foi fácil descobrir uma maneira de me manter presa à ele, não foi fácil evitar a queda no abismo, não foi fácil andar com os cabelos pra cima. Quando virou do avesso, foi muito difícil aprender a respirar o ar rarefeito. Os dias, todos, foram um fim sem fim. Cada um, atravessado com grande esforço, porque nem sempre a força de vontade estava presente. 
Mas agora eu acho que sou eu de uma forma muito mais única, aprendi a me ser com tudo de bom e ruim que trago, com tudo que é meu. Sou eu de verdade, com todas as formas de mim que tentei ocultar e esconder, e fazer parar de existir. Sou eu com poucos, pouquíssimos, planos, um desejo de ser surpreendida pela vida e uma ânsia por mudança, novos caminhos, novas pessoas. Um ânsia pra esquecer o que ficou pra trás, e lembrar que passado tem que ficar no passado. Ir pra frente, sem desviar. Olhar sempre pro horizonte, com a certeza que algo bom vai acontecer; tem que acontecer. E eu sei que mereço qualquer coisa boa que puder acontecer, e mereço muito e agora não tenho mais medo de merecer. Quero tudo que me quiser, aceito os lucros da vida sem culpa, porque sei que não estou roubando nada, é só a colheita do que eu tanto plantei e deixei que colhessem no meu lugar. Parei de ter medo de aceitar a felicidade, por achar que não era digna dela. Porque sou, sim, muito digna de tudo de bom que puder e quiser vir. 
Dos 365 dias de 2013, todos serão meus. Vou respirar pra mim, por mim, pra viver, pra me realizar. Que haja amor, amizade e tudo que houver. Depois de apanhar muito, sofrer um bocado, e chorar uns rios, eu quero, preciso e posso ser feliz. Me acho nesse direito. Me tenho certeza desse direito. Tomo posse dele, porque é meu. Desculpa, amores, familia, amigos. Mas 2013 eu quero pra mim. Meu ano, meus dias, meus meses. Minhas experiências, meus sorrisos. Nada de sonhos, só realizações. Você que fica aqui, me perdoe se eu esquecer de ligar todos os dias, mas eu vou viver esse ano. Vou viver cada dia que eu não vivi dos anteriores. Vou embora pra onde for que me fizer sorrir mais, vou com saudade no coração, com a lembrança de vocês, mas com vontade de ir. Sinto muito, mas as minhas vontades, opiniões e gostos serão minhas prioridades. Esse negócio de ficar aqui por alguém, de fazer tudo sempre por outra pessoa, me enjoou muito. É por mim agora. 
Se não podem lidar com esse pouquinho de amor próprio que resgatei, então não servem pra minha nova vida, pro meu novo ano. Depois de anos e anos tirando tudo de mim, e dando tudo pra quem eu achava que merecia, espero que mostrem, pelo menos, que mereciam mesmo tanto amor e entendam que eu preciso viver a minha vida, e fiquem felizes por mim. Nem que isso custe uma distância, uns sumiços, poucas satisfações. Entendam que não é egoísmo, é só um resgate de mim mesma, um amor pelo que eu sou e não quero nem vou deixar de ser. Se não podem entender, é porque nunca me amaram. E eu estou me amando, muito e com toda razão, com meus problemas, erros, tortices e aberrações. Com todas minhas palavras repetidas, meus óculos de grau, minhas espinhas, estrias, gorduras, celulites e risadas altas e nada femininas. Me amando, com orgulho, e tô fora de quem não puder me amar também. 
Vai doer um pouco me livrar de quem eu amava e não me amava de volta, mas, quer saber, vai ser um alívio parar de carregar peso inútil, fazer novas malas só com quem merece estar nelas e seguir meu caminho, meu e só meu. Minhas escolhas, minhas decisões, tudo baseado no que é melhor pra mim. Vai ser triste dar adeus, mas vai ser uma tristeza leve, até boa, uma tristeza válida. Pesos inúteis só atrasam, amores errados só complicam. E eu quero viver a vida na hora marcada pra viver, quero chegar na festa do meu destino no horário previsto, porque a festa é pra mim. Para 2013, eu quero só o essencial na bagagem, muito espaço para novas coisas e leveza no coração. Nada de listas, de sonhos, de expectativas, só a certeza de estar indo em frente, e indo por querer, por mim, pra mim, pra ser feliz.