sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Novo ano, novo angulo

Nós não nascemos naturalmente ruins, pelo contrário. Nascemos sim na condição humana e falha, mas quase puros. O que nos corrompe é o mundo, mas a culpa não é dele por nos corromper. A culpa é nossa por nos vender assim, tão barato, quando fomos comprados por um preço tão alto.
Tem muita coisa que eu posto aqui e não é verdade absoluta. As vezes, algum sentimento me invade e eu o escrevo como se realmente sentisse aquilo e tal coisa fizesse parte de mim. Mas, muitas vezes, não é assim que eu me sinto. Muitas vezes, o sentimento é temporário, passageiro e incompleto, não faz parte dos meus dias, não é gerado por mim mesma. Muitas vezes, é um sentimento ruim. Contudo, também não é mentira que, de fato, o sinto, ainda que apenas naquele momento. Não é mentira que, naquele instante, eu me corrompi.
Por milésimos de segundos, eu permiti que algo ou alguém desequilibrasse o que eu tenho por dentro e me tirassem do controle próprio, invadindo meu coração no curto espaço de tempo que o deixei desprotegido. Somos humanos, afinal, e nem sempre conseguimos manter a nós mesmos sob os limites que nos impomos. As vezes, muitas vezes aliás, saímos um pouco do nosso centro, perdemos um pouco da nossa vigilância constante sobre o que fazemos. E é quando acontecem os erros que não queríamos ter cometido. Os erros que sabíamos que seriam erros, mas que, por segundos que perdemos o auto controle, cometemos mesmo assim. Por esse erros, eu sei, muitas coisas acontecem, muitas pessoas se afastam. Por esse erros, enfrentamos consequências proporcionais e que sempre julgamos injustas. Mas, afinal de contas, continuam sendo erros. E pagaremos por eles. Afinal, quem deseja o bem para os outros, está adquirindo esse bem para si mesmo, assim como quem deseja o mal.
Não culpo Deus, ou meus familiares, ou meus amigos. Ou até culpo, mas sei que o faço só pra tentar ignorar o fato que a verdadeira culpada sou eu.
Tive muitas experiências com pessoas que me causaram maus sentimentos e maus pensamentos. Infelizmente permiti que me causassem isso, abri a guarda, deixei-os passar até atingirem seu alvo. Conseguiram de mim o pior: o desprezo, a mágoa, a raiva. Demorei tempos para retornar ao meu estado normal, sóbrio e consciente. Demorei tempos para conseguir olhá-los e sentir por eles algo mais nobre que o ódio. Demorei para me recuperar da condição de corrupta.
Demorei sim, mas consegui, e não por mérito meu, não sozinha. Foi quando eu estava já tão saturada e tão rodeada de sentimentos ruins, que achava que não saberia mais como ser amável, gentil e doce com alguém. Foi quando eu me perdi a tal ponto que o autocontrole se perdeu também, e toda e qualquer coisa que encostava em mim tinha o poder de me manipular, fosse para o bem, fosse para o mal - mas era sempre para o mal porque o bem não manipula, o bem contagia. No fim das contas, eu não tinha mais salvação; estava imersa nessa sujeira que o mundo me empurrou goela a baixo e eu engoli.
Acreditem ou não, alguém acreditou em mim ainda. Alguém elaborou uma maneira impensável, absurda e totalmente fora dos padrões para me arrancar de todo esse esgoto que me cobria. E, por mais que me amassem, não foi minha familia. Por mais que gostassem de mim, não foram meus amigos.
Foi alguém que eu conhecia de nome, e achava um tanto ilusório, um tanto distante, um tanto belo, abstrato e inalcançável. Foi Deus, e foi com uma sutileza tão grande que só podia ser Ele.
Agora é a hora que metade dos que estão lendo isso fecham as páginas, mudam de assunto, e perdem o interesse e a curiosidade para ler o restante do texto. Eu sei, porque eu também era assim. Falar de Deus me constrangia, me entediava e, de certo modo, me enfurecia. Por que as pessoas insistiam tanto em falar dEle? Por que não podiam apenas deixá-Lo lá, quieto, e viverem suas vidas?
Mas a resposta para tantas perguntas, descobri por obra dEle mesmo. Não fui atrás, em momento algum, de ler a Biblía, ou de ir à igreja. Não corri atrás de Deus e nem me interessei mais por Ele. Até porque, como disse, eu estava coberta por uma camada de escuridão, e estava afundando nessa escuridão cada vez mais.
Mas acontece que, em sua obra grandiosa, eu estava inclusa, e todos nós estamos. E a obra não pára na metade, porque ela é perfeita. Aconteceu que, me vendo tão perdida, Ele veio me buscar e me despertar, e depois de tanto relutar, eu me permiti vê-Lo. E, por um momento, meu olhos puderam ver algo que não fosse trevas, minha vida pode tornar-se algo além de tragédias em série. Por um momento, eu vi a luz que me tirou daquela escuridão, eu senti as mãos que me puxaram para a superfície. E, naquele momento, eu sabia que era Deus, só que não podia compreender como alguém como eu merecia ser resgatado daquela maneira. Eu, ainda um pouco cega pra vê-Lo, um pouco surda para ouvi-Lo, não entendia que tipo de compaixão era essa, que tipo de amor era esse que me alcançava no mais profundo dos mares, no mais poluído e fundo dos oceanos.
Hoje, graças a essa missão de salvamento organizada na minha vida, tenho um ser habitando em mim, e é ele quem me controla. Desde que permiti que esse ser assumisse o controle, não tive mais problemas de abrir a guarda porque não eram mais as minhas forças falhas e corruptíveis que estavam no poder, mas forças sobrenaturais e perfeitas, sem brechas, sem frestas. Hoje, graças a Deus e ao amor que Ele demonstrou ao ir me buscar no mais fundo dos poços, eu posso dizer que sou livre para desfrutar dos sentimentos mais bonitos e desejá-los mesmo àqueles que não gostam de mim.
Hoje tenho a capacidade de me aproximar dos maus sentimentos, sentir até o gosto deles e, ao invés de ser corrompida por estes, transformá-los e repassá-los em forma de bem.
Talvez ninguém acredite nessas palavras quando digo que nunca, antes, tive intenção de ser transformada. Nunca busquei ou pedi a misericórdia de Deus, mas ele me concedeu mesmo assim. Ele entrou dentro da minha casa, mesmo eu não abrindo a porta. Ele falou comigo mesmo eu o ignorando. Quebrou barreira por barreira que eu colocava em sua frente, até chegar em meu coração. Tudo isso só pra me salvar e me mostrar que havia sentido em viver, havia um caminho, havia alguém que aliviaria a dor de viver num mundo como esse; havia algo além de pular do oitavo andar deixando apenas um bilhete.
Como eu disse no inicio, ainda posto, faço e falo coisas que não são, de todo verdade, e não são, inteiramente, mentira. Coisas que me, na maioria das vezes, ainda é fruto dessa corrupção, porque, na condição fraca e pecadora que me encontro, não tenho o poder de ser santa todo o tempo. Mas, com esse ser habitando em mim, popularmente conhecido como Espírito Santo, eu recebo nova graça, novo perdão e nova chance todo o tempo. Deus sabe que você, eu e toda a humanidade não vamos deixar de errar, mesmo conhecendo-O e sabendo seu caminho, porque a gente tem mania de pegar atalho. E ele sabe disso, sabe de nossas fraquezas e falhas, e, por isso, renova sua graça todos os dias para que possamos, todos os dias, nos renovar também e nos tornar o mais próximo de santos, mais próximos dEle e de seu amor.
Eu sei que a maioria das pessoas não acredita que Deus tenha feito tanto coisa boa por uma pessoa, sendo que o restante do mundo passa fome, morre de doenças cruéis e vive em constantes guerras. Mas a questão é que Deus tem feito todas essas maravilhas na vida de todos nós, só que alguns preferem não ver. Alguns acham mais fácil fechar os olhos para não ter que encarar a verdade, não ter que admitir que também foram corrompidos. Por isso, agora que está chegando um novo ano, tentem ajustar o angulo pelo qual vocês têm visto as coisas. Será mesmo que tudo que aconteceu e foi julgado ruim, teve realmente resultados ruins? Será mesmo que você não tem nada a agradecer? Mesmo os que passam fome, permanecem doentes ou perdem toda uma familia, tem algo a agradecer. Será que não é você que está vendo só o que quer ver?
Não pensem que a minha vida é melhor que a de vocês e que, por isso, é fácil pra mim ter o que agradecer. Pelo contrário. Atravessei por fases na minha vida que não achei que seria capaz. Perdi pessoas extremamente importantes, tive que vê-las sofrer inúmeras vezes e vi sofrer os que ficaram também. Vi pessoas que eu amava e ainda amo terem que se afastar, algumas ficaram doentes, algumas passaram por experiências de quase morte. Além disso, estou no segundo ano de curso pré-vestibular, pago com muito esforço, e acho que ainda não vou conseguir entrar no curso que desejo.
Não foram poucas as vezes que chorei. Não foram banais os motivos. E os momentos que pensei estar no fundo do poço foram predominantes em relações aos momentos tranquilos da minha vida.
Mesmo assim, ou por isso mesmo, não me desfaço da presença de Deus, alguns podem dizer que é porque nunca perdi, de fato, tudo que tinha, mas, mesmo assim, mesmo perdendo tudo e até a vida, tenho tanto a agradecer que não posso ignorar isso.
As vezes, ainda me esqueço de mudar o angulo de visão e insisto em ver só o pior da situação também, mas estou aprendendo. Passarei a vida aprendendo a lidar com isso. Mas, depois que Deus veio até mim e eu permiti que Ele me mostrasse suas maravilhas, tenho tido a oportunidade de escolher. Escolher de qual modo desejo ver o que esta acontecendo. Escolher se quero caminhar pelo mundo e permitir que este me afogue num mar de sujeiras novamente, ou se quero seguir pela estrada mais estreita e mais dificil, mas que ao invés de me afogar em suas águas, vai acalmar a tempestade para que eu atravesse o mar andando sobre ele. E eu escolho Deus. Todos os dias, essa é a minha escolha; Ele é a minha escolha.
Hoje, eu espero que essas palavras não voltem vazias. Eu espero que isso tudo que eu estou tentando dizer possa mostrar o quanto Deus quer te dar essa escolha também, e quer te dar visão nova para que seus olhos enxerguem além do que o mundo pode te mostrar.
Resta a você a decisão: se vai permitir que Deus ajuste seu angulo de visão, ou se vai continuar vendo o caminho através de lentes distorcidas, que te levarão por atalhos que, desde Chapeuzinho Vermelho, todos sabemos que conduzem a morte.

PS: Falar de Deus pra vocês que me lêem não é nenhuma obrigação, não é nenhum fardo, nenhuma vergonha. Falar de Deus pra vocês é o maior prazer que eu posso ter e o máximo de amor às outras vidas que posso demonstrar, porque compartilhar desse amor perfeito é a melhor coisa que posso fazer por vocês. Espero que aceitem isso como um presente de natal adiantado, e que essas palavras que escolhi tanto para tentar traduzir tudo que Deus tem feito possam, de fato, tocá-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)