quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Tempo perdido

Nós somos jovens e acidentes acontecem, e pessoas morrem e fazemos umas merdas de vez em quando. Falamos demais, de menos ou ficamos em silêncio e nenhuma dessas coisas fazemos em momentos apropriados. Queremos o tempo todo sair da rotina, temos ânsia de viver como se fossemos morrer amanhã, de experimentar como se tudo fosse degustável, de não apenas assistir a vida. Queremos ir pra todos os lugares do mundo ao mesmo tempo. Dormimos muito e tentamos ao máximo ficar acordados pra não perder nada da vida. Viramos noites, desviramos dias, colecionamos olheiras, mas isso não nos preocupa porque somos jovens, e isso é mais experiência pra por na bagagem. Não nos condene, não nos culpe, não nos julgue. Vocês já foram jovens também, então porque repreendem tanto isso tudo que já fizeram? Será que esqueceram como era boa a sensação de andar descalço na rua enquanto a cidade está dormindo? Como era bom o gosto da risada, enquanto vocês e seus amigos se apertavam pra caber no mesmo carro?
Nós somos jovens, com muito juizo, mas muito mais vontade de viver. Somos jovens, cheios de dúvidas sobre o amanhã, cheios de certezas sobre a vida. Cheios de saudade da infância e cheios de vontade do futuro. Temos nosso próprio caminho para seguir e, definitivamente, não pretendemos seguir os passos de vocês, por melhores e mais corretos que esses tenham sido. Queremos formar novas pegadas na areia, pisar onde ninguém mais ousou, falar o que nunca foi dito e fazer o que ninguém teve coragem ainda. Sonhamos com uma sociedade cheia de regras, para que possamos quebrar todas. Gostamos de ser exceção, fazer diferença, lutar pelo que acreditamos. E acreditamos em muitas coisas que vocês também acreditavam e que, hoje, nem se lembram mais. Gostamos da musica porque ela nos leva a lugares que só a imaginação pode criar. Amamos a liberdade porque ela é a única que confia que saberemos criar nossos próprios limites. Somos muitos. Apaixonados pelas artes, porque ela nos permite expressar o que vocês tanto reprimem, nos permitem falar o que vocês não querem ouvir, e fazer o que não fazem. Gostamos da noite, do sereno, da calçada e das risadas entrecortando o Renato Russo em suas melodias que não saem dos nossos ouvidos. Mas crescemos, e perdemos a vida, e perdemos o tempo, porque o tempo passou. Éramos tão jovens!
Esses nossos atuais, sérios e adultos tons pastéis estão enjoando, estão desbotando. Da tempestade que éramos, viramos essa brisa. Mas eu quero o furacão, que bagunça tudo. Preciso me bagunçar um pouco, porque to organizada demais. To responsável demais, e gostei tanto de passar a madrugada na rua, deitada no chão, como se o mundo não importasse. Como fazíamos quando eramos jovens, e despreocupados, e inconsequentes, e com ânsia de mudar o mundo. Lembra?
E hoje fiquei velha, e o trabalho não me deixa cantar, me cegam os olhos essa sociedade passiva. E onde foi parar nosso tempo? Nossa coragem pra arriscar?
Éramos tão fortes, tão poéticos, tão simples, tão felizes ao acreditar no amanhã, ou ao não pensar nele. E quanto tempo faz que não paramos para sentar na calçada e discutir nossos planos para o futuro? Quanto tempo passamos sem sentir o sereno da noite mergulhar em nossas peles quentes como se não houvesse futuro algum? Quanto tempo passamos perdendo o tempo que nos perdeu? Temos tanto tempo a perder ainda! Desde que sejamos sempre jovens, e nos percamos da perda de perder tempo perdido, tudo vai ser novo, porque somos jovens, tão jovens, então vamos viver esse juventude! Porque perder nosso tempo eterno sendo jovens não é tempo perdido, é tempo vivido.

Um comentário:

  1. Acho que você já cansou dos meus comentários né. Posso só te dizer mais uma vez que este também está lindo? haha

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)