domingo, 17 de junho de 2012

Ao Pai

Sabe, acho que não vou aguentar. Ta doendo tanto e meu coração ta tão apertado que a tristeza não tá cabendo nele, e ta comprimindo meus órgãos e me dando vontade de vomitar.
Ta doendo tanto que parece que vou morrer. Ta doendo tanto que eu to quase querendo morrer pra ver se passa.
Faz passar, por favor. Tira essa angústia, esse medo, esse caroço na garganta. Ensina o caminho, mostra a direção e direciona as decisões que precisam ser tomadas a partir de agora. Ilumina os caminhos que teremos que percorrer, porque eles me parecem escuros e sombrios. E a cada passo, a escuridão aumenta.
Eu tenho medo de andar mais um pouco e soltar de vez algumas mãos que andei segurando comigo. Tenho medo de continuar andando nessa noite sem fim, e ter que deixar minhas lembranças, minhas memórias. Eu tenho medo de perder mais, porque eu já perdi tanto, tanto! Eu tenho medo de não conseguir parar de ter medo nunca, e viver sempre assim: assustada. Tenho medo de não parar de perder nunca e viver sempre assim: sozinha.
Ando rindo bastante, falando bastante, mas dentro de mim tem um silêncio sem fim. Um silêncio que grita mais alto que tudo na vida. Eu tenho medo de deixar as feridas secarem, de não lembrar do som das vozes que perdi, de esquecer os meus sorrisos quando estavam todos aqui. Por isso, fico arrancando as cascas, fico impedindo a cicatrização à todo custo. As vezes, me parece impossível sorrir de verdade. Não esses sorrisos de desculpas, de boas vindas, de "obrigada", de "com licença". Mas esses sorrisos naturais, de felicidade pura. E isso faz com que eu ande cada vez mais pra trás. Eu não quero seguir em frente se voltar significa parar de sentir essa dor, porque é a dor que me faz lembrar e reviver um pouquinho desses dias felizes. Eu me recuso a seguir com a vida, e fico aqui, parada, olhando pro passado e desejando retroceder. Em 100% do meu tempo, eu desejo poder voltar. Me sinto extremamente miserável vivendo assim.
Será, meu Deus, que um dia vai aparecer alguém que me faça ter vontade de viver o presente e planejar o futuro? Será que vai existir alguém no mundo pra me fazer sorrir leve de novo? Sorrir sem dor no coração, sorrir por dentro e por fora, sorrir sem ser de mentirinha? Sorrir sem culpa, sorrir sem ser por obrigação!
Eu to tão cansada. Mas tanto. Perder dói muito, machuca demais, faz arder a alma inteira, como se estivessem arrancando um pedaço seu. E, as vezes, eu penso que não mereço tanto! Eu erro muito mesmo, sou uma tragédia de erros, defeitos e manias. Mas isso tudo é demais pra mim. Todo mundo pensando em como eu lido bem com a situação toda. Acontece que é exatamente o fato de eu parecer estar lidando bem, que mostra o quanto estou lidando mal! O quanto não estou lidando porra nenhuma.
O tempo todo eu olho pra mim mesma e fico perguntando o que fazer, pra onde ir. Se eu fosse duas, com certeza uma já estaria estapeando a outra. Porque eu já sou bem difícil de aceitar a vida como é, já sou bem dramática e louca, sabe?! não preciso de mais tudo isso! Porque não quero perder a fé que tenho. A pouca fé que sobrou.
Mas como eu vou fazer? Não consigo prestar atenção em nada. Fico olhando pro céu, para as paredes, para meus pés e pensando o tempo todo que eu queria que fosse diferente. E é claro que todo mundo me acha estranha, mas eu não sei mais ser normal. Não sei mais ser assim, como as pessoas costumam ser. Não consigo mais me portar, porque parece que a vida passa por mim assim, esbarrando nos meus amores e levando-os embora. E o tempo todo eu fico olhando para as pessoas com lágrimas nos olhos. Com medo de serem tomadas de mim também, como tantas outras. E é claro que eu as assusto sendo assim. É claro que elas fogem de mim, porque eu sou a louca que precisa estar sempre abraçando demais, fazendo sorrir a qualquer custo aqueles que eu amo.
Quanto mais vou precisar perder até chegar onde Deus quer que eu chegue? Quanto mais vou precisar chorar, até conseguir sorrir? Quanto mais tenho que errar, pra aprender de vez?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)