sábado, 12 de maio de 2012

O meu problema



Acontece que eu jogo video game, e embora todos os homens do planeta digam que acham isso demais numa garota, é mentira. Eles não suportam saber menos de games do que nós, muito menos perder pra nós.
Acontece que eu, realmente, de verdade, falo o que penso. Tentei inúmeras vezes manter a boca fechada, mas as vezes, tipo sempre, escapa. Embora os homens também digam que gostam de sinceridade, eles detestam.
Acontece que eu gosto de futebol, e torço para meu time, e morro de vontade de ir no estádio, e adoro jogar. E todo homem adora se exibir mostrando que sabe nomes de lances e regras do jogo. Eles detestam quando percebem que não podem ensinar nada que a menina já não saiba.
Acontece que eu quero trabalhar, pagar minhas contas e cuidar da minha vida. E homem nenhum acha legal que sua garota seja independente, ainda que eles nunca admitam.
Acontece que eu não sou meiga, delicada, e não falo mansinho, e não é por maldade. Eu sou intensa, densa, um abismo de sentimentos, um mar de emoções, uma montanha russa de sensações loucas. E homens não gostam de meninas profundas, e meninas profundas não gostam de caras rasos.
Acontece que eu sou mulher, também tenho minhas paixões por sapatos, roupas, acessórios e pelo Jhonny Depp. E ser assim não me faz mais ou menos infantil.
Acontece que eu realmente vou à luta se vejo alguma injustiça. Ponho minha cidadania em prática, e exerço o papel de quem quer e exige uma sociedade decente, no mínimo.
Acontece que eu me visto assim. Pense você o quiser, ria da minha cara, me chame de estranha. Eu gosto e não vou deixar de gostar, nem de usar, nem de achar bonito.
Acontece que eu falo gírias demais, as vezes, sem querer. E não vou ficar me policiando porque marmanjo quer que eu fale "feito mocinha".
Acontece que eu amo meus all star, sejam velhos, sujos, novos, brancos, altos ou baixos. Amo meus saltos 15 cm. E não vou ficar usando sapatilha porque é mais feminino.
Acontece que vestidos colados, saias minúsculas e decotes desnecessários não me deixam a vontade. E não ligo se ser assim vai fazer com que menos olhos passem por mim, porque eu não saio atrás disso.
Acontece que eu faço o que faço, gosto do que gosto e tenho princípios e valores fixos. Não me envergonho do que sou, não me faço parecer diferente.
Acontece que eu tenho opiniões, idéias, pensamentos, sentimentos. Se não concordo, não concordo.
Acontece que tudo isso é coisa que todo homem fica falando que gosta em mulher. Só que acontece que homem é tão mentiroso, que engana a si mesmo.
E, por isso e por tantas outras coisas, eu provavelmente não vou ser amada, nem pedida em casamento, nem serei objeto de declarações de amor. Porque homem nenhum sabe lidar comigo, com a minha espontaneidade, com meu sarcasmo insultante e minha falta de jeito pra cor-de-rosa. Homem nenhum aguenta o fato de eu, quase sempre, ser a pessoa que faz as piadas sujas e as pessoas rolarem de rir com meu humor negro.
O meu problema, na realidade, é esse. Ser muito mulher para não ter medo de dar a cara a tapa e declarar, em alto e bom som, que tenho meu lado muito macho.

Um comentário:

  1. Me vi totalmente descrita nesse texto..parabéns!
    grande beijo.sz

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)