quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Oração


Pai, me perdoa. Estou me perdendo de mim, porque estou me perdendo de Ti. E sem a Tua presença, que resta de mim mesma?
Tenho andado sem esperança, sem força, sem vontade alguma. Tenho andado desistindo das coisas da vida, desistindo de mim e da minha fé.
Pai, meus olhos estão embaçados e as suas tantas bençãos diárias, os tantos milagres que realizas todos os dias na minha vida, estão sendo ofuscados pelos problemas, pelas tristezas. Não estou mais conseguindo ver as maravilhas que fazes. E Tu sabes o quanto isso me decepciona, e eu sei o quanto minha decepção também Te decepciona.
Pai, meu pai, me perdoa. Me perdoa por sempre pedir tanto e me ajuda. Abre os olhos do meu coração, os olhos da minha alma. Vem com Tua presença, e não permita que eu perca a fé. De tudo que podes tirar de mim, de tudo que eu sou, que eu tenho e que é Teu por natureza, por favor, só não me tire a fé.
Não sei usar as palavras dos pastores de igreja. Não sei orar; por vezes, esqueço-me de agradecer. Quase sempre adormeço antes de concluir minha conversa contigo e minha fé é terrivelmente fraca. Não sou digna da Tua atenção, nem do Teu perdão, menos ainda da misericórdia que tens para comigo. Mas Pai, mesmo assim, peço que aceite minha oração hoje. Aceite porque não tenho mais a quem recorrer. Aceite porque sou fraca, sou humana e, sem Ti, não sou nada.
Senhor, muitos não creem na Tua palavra, mas eu quero crer. Eu acredito na Tua presença, porque sinto. Sinto a Tua beleza, o Teu poder e o Teu amor. Então me perdoe se as vezes me esqueço que andas comigo. Perdoa se esqueço que não devo temer, porque estás ao meu lado. Perdoa se esqueço de não me preocupar. Perdoa se eu insisto em querer fazer do meu jeito, quando sei que a Tua vontade é boa e agradável.
Me concede a força que preciso e a fé que anseio. A fé para não desistir, para não deixar de acreditar nas Tuas promessas. Me concede a fé inabalável para que eu nunca duvide da Sua presença. 
Hoje, Pai, me perdoa. Perdoa por ter pedido para não perder a fé, quando deveria ter pedido para não perder Tua presença, que é muito mais importante. E me concede a graça de perdoar também. 
E se as minhas palavras não forem boas o suficiente, me concede a presença do Teu espírito santo, para que ele possa traduzir meus sentimentos em palavras que mereçam ser ouvidas por Ti. 
Me ajuda a Te pedir ajuda, Pai. Me ensina a orar como se deve. Me ensina a Te ouvir antes de falar, e a Te agradecer antes de pedir. Me ensina a valorizar mais as bençãos do que os problemas. A aceitar a Tua vontade mesmo quando ela for oposta à minha. E a ansiar mais por Ti, do que por teus milagres. Me ensina a ver com o coração, e não mais com os olhos humanos e falhos que trago em meu rosto. 
Ensina meu coração a ficar completo e satisfeito apenas com Tua presença, sem precisar de absolutamente mais nada. Me me faz aprender a buscar sempre o reino dos céus em primeiro lugar, antes de todas as outras coisas.
Pai, me ensina, me perdoa, me ajuda. Não se afaste de mim, não se cale diante das minhas incessantes orações e, quando precisar ficar em silêncio, me faça compreender. Do mesmo modo, me faça compreender Tuas respostas às minhas tantas perguntas.
Se estiver pedindo muito, e sei que estou, então apenas me concede Tua presença. Porque antes do ar que respiro, antes do alimento que ingiro, é da Tua presença que vivo. Antes de me satisfazer com milagres, bençãos e todas as coisas que as Tuas mãos podem me dar, sei que estar contigo já basta. 
Então esteja presente. Apenas isso. E eu viverei anos feliz, ainda que sem água, sem alimento ou qualquer outro bem essencial. Porque mais essencial que tudo isso, é o Teu amor para mim.
Esteja presente, e nada mais me faltará. Nem fé, nem amor, nem alimento. E todo o resto que me entristece se dissipará diante da Tua majestade.
Esteja presente, por perto, de mãos dadas comigo. E eu atravessarei um mundo inteiro de sinal fechado e olhos vendados só de saber que Tua mão está na minha, me sustentando. Esteja do outro lado da rua da vida  esperando por mim, Pai, e eu passarei por carros, motos e caminhões sem temer.
Porque carrego comigo a certeza de que, ainda que caiam mil a minha direita, e dez mil a minha esquerda, eu não serei atingida.
Creio na força da minha oração, e creio que estás agora ao meu lado ouvindo cada palavra que emana do meu coração. Creio não porque te vejo, nem porque te ouço. Mas porque te sinto, e isso me basta, Pai. Para sempre.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Cruelmente gentil

Antes que possa sair qualquer palavra doce de seus lábios, quero deixar claro que não há nada constante em mim. Portanto não vá se acostumando com esses meus olhos sorridentes e com essa minha simpatia momentânea. Não quero criar esperanças em você, já que amanhã eu posso não estar tão bonita, tão legal, tão divertida.  Te dou o meu pior, porque se der o melhor você vai se acostumar a ele e eu não quero decepcioná-lo quando eu acabar descendo do palco. Não quero me decepcionar. Te iludir com sorrisos temporários não me parece justo. Então não confie em nada que parecer receptível em mim, porque eu posso não corresponder às suas expectativas. Você pode me achar antipática, chata e acabar se afastando antes mesmo de se aproximar mas, acredite, é melhor assim. 
Eu crio essa barreira em minha volta justamente para que ninguém ouse ultrapassar o limite. Eu não quero ter que ouvir suas frustrações, seus porquês e nem quero ter que te ouvir dizer como eu o desapontei. Não há nada em mim de interessante, e eu deixo isso bem claro. Coloco as cartas na mesa, porque não vou tentar te conquistar com maquiagens bem feitas, roupas justas, frases decoradas e músicas mal ouvidas; simplesmente não vou fazer esforço nenhum para ser conveniente. Eu estou apenas sendo solidária com você; tentando não te fazer acreditar em algo que eu posso não ser sempre, só de vez em quando. Não vou ser simpática, porque todos têm essa mania de pensar que uma pessoa que te sorriu, vai te sorrir sempre. Desculpe, mas eu tenho meus dias de chuva, de furacão, de tsunami. Não serão sempre flores. Pode ser até que encha minha flora de espinhos secretamente. 
A questão é que eu estou tentando fazê-lo provar o meu pior veneno, porque se eu deixar você consumir minha mais doce dose, quando você experimentar qualquer outra essência de mim, não a acharás mais tão boa. Então por favor, por favor.. entenda! Eu tenho que ser cruel para não te machucar; eu estou sendo má para tentar ser gentil.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Um coração pequeno, um amor imenso



E agora meu gato chega devagarinho perto de mim e passa as patinhas em volta do meu pescoço, me abraçando em silêncio e me deixando ouvir apenas sua respiração baixa e regular, calmante para o corpo, relaxante para a alma. E fico pensando que isso é a única coisa que me alivia desse peso que carrego. Esses bracinhos rajados, quentes e macios, fininhos de um jeito que parece que vão quebrar. O abraço tão real que parece de gente, mas dez vezes dez melhor que o abraço de gente. Ele me abraça e não está nem aí que eu não seja boa em nada. Não está nem aí para qualquer coisa além do que eu realmente sou. 
E a cabecinha raspando de leve no meu queixo, como quem diz "Eu estou aqui com você". É a única coisa que faz sentido agora, que me traz paz. Me impede de morrer. Porque o resto é tão resto que já nem sei mais o que é. Só o que paira sobre a minha mente agora é a forma como estou protegida do mundo, presa nesses braços magrinhos e como esse é o melhor amor do mundo, que não exige nada em troca e que se dá assim, sem complicações. E, quem diria, um gato! Um animal desses que dizem ser irracional. Esse mesmo é o que me mantém viva todos os dias, que me segura firme e aquecida quando o mundo está virando gelo para mim. Esse animalzinho, com seu coração fisicamente pequeno e seu amor impossivelmente grande, me salva da maldade do mundo, me traz paz interior. E é ele quem me faz esquecer que existe escuridão, raiva e inveja. Esqueço até dos problemas da vida, como se a única coisa importante no mundo fosse respirar, simples e leve assim. Do que eu estava falando mesmo?