quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Eu de dentro e eu de fora em: O amanhã

- O que você esta martelando na cabeça, tão forte que as paredes daqui de dentro estão balançando?
- Eu só queria muito que o tempo parasse agora. Bem aqui, bem hoje. 
- E você aguentaria ficar parada junto com ele?
- Talvez sim. Mas seria muito melhor se eu tivesse um viratempo igual ao da Hermione, e pudesse ir para o passado quando bem entendesse. Aí não teria problemas se o tempo quisesse passar, eu poderia voltar sempre.
- Afinal, o que tanto te aflige no dia de amanhã, logo você que estava querendo independencia?
- Acontece que isso não é sinônimo de independencia, mas de maturidade, responsabilidade.
- Mais um motivo para estar satisfeita. Logo você que sempre teve juizo demais na cabeça, responsabilidade demais, tanto que nunca precisei fazer sua consciência pesar.
- A questão não é essa. Eu sempre tive bastante disso mesmo, sempre pensei bastante nas consequências e no amanhã, no depois. Mas você bem sabe que eu sempre quis sair da linha, estourar todos os limites e regras impostas a mim, dar uma de louca, de rebelde.
- E não quer mais?
- Continuo querendo, até mais que antes, mas agora parece que não posso mais. Antes eu podia sair da linha, afinal, era uma adolescente, e é isso que adolescentes fazem; eu tinha uma justificativa se quisesse violar as leis. Mas agora, parece que tudo o que eu tenho que ser é adulta. E eu detesto essa palavra. 
- Mas não é bom ser adulta, independente?
- Adulta não, independente sim. É bom pagar suas próprias contas e comprar suas coisas com seu dinheiro. E só.
- E não é nisso que se resume a vida dos adultos?
- Não. Adultos não podem voltar chorando para casa, não podem pintar o cabelo de azul, fazer uma tatuagem, usar all star. Adultos não podem correr para os braços dos pais quando as coisas vão mal.
- Só porque a sociedade diz que não?
- Também por isso. Mas principalmente, porque adultos tem uma vida para cuidar, e não podem mais viver em função dos pais que já nem aguentam mais cuidar de ninguém. As funções são trocadas, os filhos cuidam dos pais.
- Você não quer cuidar dos seus?
- Cuido com todo prazer, feliz de poder ajudar. Mas não estou qualificada para isso, não estou pronta.
- Acho que você não quer estar pronta.
- Por que eu não iria querer?
- Porque eu sei que você acha que não viveu nada do que deveria ter vivido na adolescência, eu sei que você pensa que sua vida adulta não pode começar agora, porque sua fase infanto juvenil foi muito curta.
- Mas foi mesmo! Você sabe disso. Foi tudo tão rápido para mim que não deu tempo de nada. A vida me fez crescer rápido demais, e isso é muito injusto! Eu queria ter tido tempo de brincar mai, de sair mais, de ter mais amigos e mais história para contar. Queria ter ralado mais meu joelho, com todas as outras pessoas.
- Mas ser adulta vai te dar liberdade, vai te fazer dona da própria vida. E você nunca foi como as outras pessoas.
- Nunca tive uma vida só minha e não vou ter. Sou composta pelo amor das minhas pessoas, músicas, poesias. E porque exigir mais de mim?
- Porque você aguenta mais. Você suporta um peso maior que a maioria das pessoas pode suportar.
- Eu faço porque preciso, porque tenho que aguentar esse peso, tenho que ser forte. Não porque quero. Nunca quis carregar um mundo nas costas, ninguém quer.
- Ninguém quer e ninguém o faz. Você, mesmo não querendo, faz. E, afinal de contas, o que você quer ser?
- Sempre quis ser a pessoa mais feliz do mundo. Mas hoje me contento com uma felicidade boa de sentir, com a certeza de estar falando a verdade quando digo que está tudo bem. Me contento em fazer as pessoas a minha volta felizes, e ser feliz. Já é suficiente.
- Não é suficiente, você sabe que não. Nunca foi. Você sempre quis o mundo, para mudá-lo, melhorá-lo e entregá-lo às pessoas que ama.
- Mas eu posso me conformar com um pedacinho dele só. Eu posso.
- Desiste! Você sempre vai querer abraçar o mundo, porque você sempre gostou das coisas grandes.
-  Amar demais, querer demais, sonhar demais. Tudo é pouco e nada nunca é grande o bastante. É, vai ver é meu pior defeito.
- Ou sua melhor qualidade.
- Se fosse qualidade, eu ganharia alguma coisa com isso, não?
- Você pode não ganhar nada, mas as pessoas ganham.
- É. Talvez. Mas, de vez em quando, eu queria ganhar alguma coisinha, sabe? 
- Bom, já que é véspera do seu aniversário, pode pedir. O que você quer ganhar?
- Eu quero que não chegue esse amanhã que me mata de medo, de dúvidas e incertezas. O mundo onde vivo não será o mesmo amanhã. E esse é, para mim, o último dia da vida que eu conheço. Portanto, quero que ele dure para sempre.
- Isso não vale. Você sabe que é inevitável, parte da vida. E você sabe que, no fundo, você até quer que chegue o amanhã, só está com medo de não dar conta.
- .É, eu sei que é parte da vida, que é o ciclo que todos os seres humanos têm que cumprir. Mas você sabe que eu nunca gostei muito de seguir a massa. E que eu estou com medo, é obvio. Medo de não estar pronta.
- Não é questão de seguir a massa, é questão de viver em função de si mesma, não da sociedade. E seu medo de não estar pronta é a prova viva de que está.
- Não dá para conversar com você. Já cansei de falar que não consigo pensar assim, não consigo ignorar ninguém, ainda mais quando se trata de uma sociedade inteira. Quero viver em função de mim, mas não posso porque não vou conseguir lutar contra tudo isso sozinha.
- Você sempre me atacando né? Eu sei que é inútil dizer isso a uma nata "desassossegada", mas sossegue. A vida se ajeita com o tempo, para com essa ansiedade toda e vive. Só o que eu te ouço dizer é que não vai conseguir. Você não está sozinha, afinal, eu sou o que?
- Ta, ta, ta. Sem sermões e sem drama. Vamos encerrar essa conversa.
- Ainda quero saber o que você quer ganhar.
- Quer saber mesmo o que eu quero? Quero sentimentos intensos e leves, nada complexos e nem paradoxais. Quero vida digna para todos. Quero comida para quem tem fome, saúde e cura para quem está doente, educação para todos, fé para aqueles que ainda não a possuem. Eu quero mais seres pensantes, menos guerras, menos brigas, mais amor, mais compaixão e mais estrelas no céu. Mais esperança para esse mundo e menos importância para o dinheiro e as coisas materiais. Quero tanto, quero muito.
- Você sempre quer coisas demais, e quer com muita intensidade! Mas, pensando bem, eu quero que você nunca deixe de querer tudo isso.
- Eu também quero.
- Para variar, você quer. Mas...enfim, nos entendemos.
- E você, quer o que para amanhã?
- Quero mais você e mais eu dentro de nós. Mais discussões internas, para não perdermos a essência, a vontade de mudar e a sede de revolução. Para não nos perdermos. Quero mais alma, mais cor nela. Porque essa que temos está meio apagadinha.
- É, acho que posso tentar atender o seu pedido.
- E eu acho que posso te ajudar a não esquecer do seu pedido.
- Fechado.
- Pronta para amanhã?
- Não. 
- Nem eu.
- Vamos dar conta?
- Sempre damos. Nossa especialidade não é essa? Dar conta do recado?
- É, acho que sim.
- Fica tranquila que a gente dá um jeito.
- Você acha mesmo?
- Tenho certeza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)