quarta-feira, 13 de julho de 2011

Gente Grande


Não fala assim, porque me faz querer morrer. Eu quero que você diga que confia em mim e que sabe que eu vou me sair bem. Eu quero te ver feliz por eu estar começando a andar com minhas próprias pernas e quero, muito mesmo, que você pare de dizer que eu não sei como é o mundo lá fora ou que eu acho que é tudo muito fácil. Eu nunca disse que era fácil, eu sei que não é, e ninguém pode me contar como é o mundo, sou eu quem tem que descobri-lo. Mas eu preciso de espaço para isso, eu preciso crescer, e só vou conseguir isso se você me ajudar. Se você apenas me encorajar e dizer que vai estar sempre aí, para o caso de alguma coisa dar errado, já está bom. É só isso que eu preciso, da sua voz dizendo: "Pode ir, vai dar tudo certo e, se não der, eu ainda estarei aqui". Eu quero te ver feliz, porque só assim vou poder ser feliz também.
Porque eu estou morrendo de medo. Apavorada com a possibilidade de não dar conta de ser adulta. Não precisa me deixar com mais medo ainda. Eu não sei como vou fazer isso, como vai ser e nem o que pode acontecer. Só o que sei é que chegou a hora de aprender a viver, antes que seja tarde demais. Você tem que entender o quanto eu preciso dessa liberdade; Liberdade que só poderei ter se você me der um empurrãozinho, porque não tenho coragem de ir sozinha. Tudo bem se der errado, mas eu preciso ao menos tentar; não quero te ouvir dizer "eu avisei", só quero seus braços abertos e prontos para me abraçar. Tenho que cometer meus próprios erros e aprender com eles. Não posso continuar vivendo com base nas suas experiências. Porque agora é a minha vez. E, por mais que você diga que já passou por isso e que sabe que eu vou quebrar a cara, ainda assim, eu preciso ir lá e fazer de novo, cometer o mesmo erro, ter minha própria experiencia e tirar meu aprendizado. Tenho que ir lá e quebrar a cara também, só para entender a sensação e aprender a não fazer de novo. É só o que estou pedindo, uma chance para ver se eu consigo cuidar de mim mesma. Uma oportunidade apenas. Não consigo sozinha e você sabe que não, por isso, preciso que estejas comigo. Preciso que solte a minha mão na hora de atravessar a rua, mas que fique me esperando do outro lado. Eu não vou sair correndo, e esquecer de você, te deixar para trás. Eu vou apenas crescer, aprender a me virar. Ainda que eu esteja simplesmente aterrorizada com tudo isso, todas essas mudanças e responsabilidades. Ainda assim, eu quero ir, porque preciso. Então, por favor, não permita que eu faça isso de qualquer jeito, porque quero fazer direito, da maneira correta, com todo o seu consentimento. 
Promete que vai sentir orgulho de mim, que vai me deixar crescer, me ajudar a ser gente grande? Promete, por favor, estar sempre com os braços abertos esperando eu voltar só para dizer que sabia que eu ia conseguir? E promete, dê a sua palavra, que vai ler isso e entender de uma vez por todas que não estou te deixando, mas apenas tentando me encontrar. Vou soltar sua mão, mas não vou para longe. Não vou embora, porque isso não é um Adeus. Isso nunca foi um Adeus.

Um comentário:

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)