quarta-feira, 15 de junho de 2011

Hospedeira

Eu sinto-me tão invadida, tão perfurada. O que houve, afinal, com os bons e velhos sentimentos? Aqueles já sentidos, já costumeiros? 
Estou extremamente zangada com tudo isso, e não sei de onde veio essa raiva, porque não sei nem a origem do foco dela. Ando possessa de um sentimento sem fim, sentimento ruim de sentir. Uma sensação longa e espessa que me percorre inteira, toma conta de tudo e me faz querer chorar, porque dói. E não é dessas dores de remédio, médico e hospital. Dói de verdade, na essência da palavra dor. Machuca, e parece que tira de mim o que me pertence por direito, a calma. Já não sei o que é calma. E escrevo aqui para ver se consigo expulsar esse intruso; alienígena que me corroe. 
A culpa pesa em minhas costas por sentir isso, porque é sujo, feio e insistentemente constante. É errado, mas não consigo evitar. Tento, luto até perder as forças, e o faço em vão. Tenho medo de não conseguir continuar, ao mesmo passo que anseio por desistir. Tenho medo dessa dúvida e não aguento mais sempre aguentar. Porque eu vivo no limite, na fronteira. E vivo estendendo isso, conquistando as terras inimigas, que deveriam permanecer do outro lado da cerca. Estico meu próprio limite. Onde isso vai parar desse jeito ?Ninguém nos ensina. 
Na verdade, nada aprendemos. Não aprendemos a viver, nem a morrer; não aprendemos a lidar com os problemas. Não existe lição no mundo, existe ordem. Você não aprende nada, você se conforma com tudo e ponto. E, sabe, isso pesa. Pesa até para mim, que sempre carreguei grandes cargas, sempre carreguei mais que deveria e que poderia. Pesa, e pesa muito. Tanto que não aguento também, vacilo, fraquejo, e que posso fazer? O mundo sempre foi dificil de manter nas costas, mas ultimamente tem sido impossivel. Tantas pessoas poluídas, tanto mal mundano e agora mais essa criatura que se instalou em meu coração... fiquei fraca, mais do que sempre fui. Sirvo de hospedeira desse invasor e não sei como removê-lo. A única certeza que tenho, é da presença desse corpo estranho dentro de mim. E o pior é que tenho medo dessa certeza, mais do que já tinha quando era dúvida.

Um comentário:

  1. Olá!!!Vi o link do seu blog no blog da Mari, Na varanda.Adorei as coisas q vc escreve...Dá uma passada no meu blog tbm
    http://outras-nuvens.blogspot.com
    bjooos

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)