domingo, 9 de janeiro de 2011

Recomeçar

Vocês continuam. E eu paro aqui para terminar meus textos interrompidos. Eu volto para consertar as coisas quebradas que abandonei pelo caminho. Enquanto, um passo a frente, suas mãos acenam para mim; mãos que já recolheram cacos do que deixaram para trás também, e agora estão partindo da mesma forma como eu deveria partir.
Mas perdi a hora. Perdi a cabeça nas palavras e o coração deixei cair em uma esquina qualquer. Talvez por isso seja obrigada a retornar; recolher o que escapou de meus braços enquanto eu corria desenfreadamente e não deixar que caia de novo. E é sozinha que eu sigo, porque não vou em frente, e quem quer saber de voltar? Voltar é desistir, e desistir é fraquejar.
Desistir do caminho pelo qual você seguiu durante muito tempo acreditando que levaria a algum lugar é como desistir de um sonho. E quem diz que desistir é mais fácil que continuar é porque nunca desistiu de nada na vida. Porque coragem mesmo é, não só perceber, mas saber admitir para si mesmo que as coisas mudaram e o lugar para onde o atual caminho leva, não é mais o lugar para onde você quer ir, para onde tem que ir. Coragem é saber quando é a hora de parar, dar um tempo; voltar.
Mas, apesar do sentimento de fracasso, quem sabe seja essa a solução para mim: recomeçar. Mesmo que seja bem mais difícil ter que parar, voltar todo o caminho que percorri, escolher outra estrada e começar novamente enquanto eu poderia apenas continuar na mesma trilha de sempre. Afinal, ninguém nunca disse que seria fácil, não é mesmo?  
E, de repente, pode até ser que seja bom e faça bem. Quem sabe eu até encontre e resgate o pedaço que roubaram do meu coração e coloque novamente no lugar. Depois, posso tentar encontrar uma maneira de prosseguir. Esbarrar talvez em um novo amor, que não machuque. Achar minha passagem perdida para o futuro e, vai saber, até levar alguém comigo.
É, vai ver é isso mesmo que eu tenho que fazer. Parar com essa estrada torta, cheia de curvas, buracos, lágrimas e corações partidos. Pegar o retorno. Deixar para trás essas minhas dores particulares, meus sonhos frustrados e jogar fora esses papéis amassados de textos e rabiscos mal acabados. Começar do zero, apenas com um lápis bem apontado e um papel na mão. E, se quer saber, eu vou é me deixar inteira - ou o que sobrou de mim - para trás e me reiniciar, nascer de novo.
Renascer para ver se aprendo a não mais pular etapas.
E agora, bem mais confiante que antes, eu crio coragem e digo e repito para quem quiser ouvir, não com orgulho por ter falhado no primeiro caminho, mas com convicção e de cabeça erguida, cara e coragem, sabendo que nem sempre andar para frente significa seguir em frente: Eu desisto.
Desisto dessa estrada, desse meio de transporte, dessa vida. Desisto do suposto prêmio que estaria na linha de chegada me esperando, mas que agora não me parece mais atraente. Desisto de tudo para poder começar de novo, do nada. E desisto dessa metade que sobrou de mim, para recomeçar inteira.

Um comentário:

  1. "E quem diz que desistir é mais fácil que continuar é porque nunca desistiu de nada na vida."
    "Deixar para trás essas minhas dores particulares, meus sonhos frustrados e jogar fora esses papéis amassados de textos e rabiscos mal acabados"

    Caramba,que texto lindo.Muito lindo mesmo!
    Me identifiquei demais com ele *-*.
    As vezes é no recomeço,no retorno,que a gente encontra aquele caminho que ficou meio escondido,mas que leva para o lugar certo.

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)