terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Estranho

Aonde você foi parar? Só o que eu vejo agora são rostos estranhos, e eu não gosto deles.
Você não vai voltar e dizer que nunca quis ter partido? Porque as pessoas não gostam mais de sorrir para mim?
Eu não estou gostando desses olhos tristes. Eu não gosto de perceber que o banco ao lado permanece vazio.
Para onde você foi? E porque não me levou? Pode parecer estranho, mas eu não ligo para tudo isso desde que você venha e me leve embora.
Eu queria te contar que andei sonhando e que acabei me iludindo, e queria que você me abraçasse e dissesse que é assim mesmo.
Eu também queria te contar que você era a única pessoa que se sentava perto de mim e me ouvia por mais que alguns rápidos minutos. Estranho como parecia fazer sentido.
Sabe, agora nada disso parece estar muito certo. E talvez não esteja, mas porque?
Eu não deveria pensar tanto nisso, eu sei. Sei que se estivésses aqui, este seria o seu conselho.
Então me ensine a ser de outra forma, porque ninguém gosta dessa que sou e eu não quero mais as testas franzidas para mim. Quando isso vai parar? E cadê você nesse momento, para me perguntar a causa das lágrimas? Por que ninguém mais fala comigo e ri do meu cabelo desgrenhado? Por que todos resolveram ir embora? Estranho como isso não me surpreende.
Não quero ter que te contar que perdi as esperanças e que nada mais faz sentido. Não suporto a idéia de ter que confessar a você que eu provavelmente estou enlouquecendo sozinha. Mas o que eu posso fazer? Se eu descobri que a solidão não é algo desejável, mas que é inevitável agora que ninguém mais me quer por perto. Eu sei que voê provavelmente diria que são coisas da minha cabeça, mas eu sinto a maneira como todos se afastam. E então como vai ser? Depois que você se foi, as nuvens não deixaram mais meu céu particular, fazendo com que toda a beleza que eu enxergava, se embaçasse.
Estranho como eu sinto que posso resolver isso mesmo sabendo que não posso.
Estranho como eu criei pessoas na minha cabeça por falta de seres humanos reais, e como eu fiz delas meus melhores amigos e até transformei-as em personagens de livros.
Ei, fui eu que te inventei também? Por que você não pode existir?
Estranho como eu descobri que todas as nossas conversas nunca existiram e como eu sinto saudade de coisas que nunca aconteceram.
Estranho como depois que você apareceu na minha mente, eu pareço estar diferente; e mais estranho ainda como meus textos, desde sua partida, permanecem incoerentes.

Um comentário:

  1. "Para onde você foi? E porque não me levou? Pode parecer estranho, mas eu não ligo para tudo isso desde que você venha e me leve embora.
    Estranho como eu descobri que todas as nossas conversas nunca existiram e como eu sinto saudade de coisas que nunca aconteceram."

    E é estranho o modo com que as lembranças ficam sempre ecoando,por mais que não tenham acontecido.

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)