sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Desajeitada e sem freio

Então você acha que pode dizer quando vai chover, ou quando as nuvens vão se dissipar. Essa sua mania de ser grande nunca lhe favoreceu e, mesmo assim, continua aí em você. 
Vá devagar, criança. O mundo pode ser maior do que aquilo que já está fora de seus limites. Sinta o vento bater e entenda que existe alguém que o sopra dessa forma para que ele bagunce seus cabelos.
Onde você pensa que está indo, garota? Os degraus desse mundo são mais altos que seus joelhos ralados. Como você faz com que isso seja real, quando sabe que não é? Apenas pare e olhe para o céu, porque ele está lá por você. É só um ponto de vista arriscado. E quem sabe o que não é verdade nesse mundo? 
Mas não há data marcada para a sua chegada. Não há lugares marcados. Vá com calma. Por qual motivo essas lágrimas quentes rolam por suas bochechas rosadas? Não se apresse assim, você sabe que é tudo tão passageiro quando as nuvens de verão. E que não há motivos suficientes para deixar-se entristecer. Ambos sabemos que tudo é tão incerto quanto o dia de amanhã. 
Então levante-se e amarre esses seus cadarços soltos que a fizeram cair por diversas vezes enquanto você insistia em correr com eles desamarrados. Assuma sua posição e aprenda que é assim que a vida vai indo; desajeitada e sem freio. Você sabe que no final das contas é tudo dessa forma. Junte seus livros, suas lágrimas e seus motivos para sorrir e vá em frente. Porque na próxima parada, você terá chegado ao seu destino e, antes mesmo que se dê conta, terá alcançado os degraus da escada que você escolheu.

Um comentário:

  1. "Assuma sua posição e aprenda que é assim que a vida vai indo; desajeitada e sem freio"

    Ahh Brenda,como você consegue escrever tão bem??Ensina??Não sei nem o que comentar *-*

    ResponderExcluir

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)