segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Garotas grandes não choram

E talvez, essa minha ansia por liberdade, independencia e vida própria seja apenas a causa de meu medo. Porque por mais adulta que eu tente ser, e por mais racional que eu tente agir, ainda assim sou criança.
Tenho inseguranças quando não vejo um rosto conhecido. Tenho medo do que há por trás do armário. E quando me vejo só, tenho vontade de gritar pelo nome que costumava ser meu refúgio; e que ainda é. 
Mas o relógio não me deixa mentir, e eu não permito enganar-me mais. O tempo passou, e me levou junto. Então aqui estou com minhas decisões a serem tomadas, caminhos a serem percorridos e problemas a serem resolvidos. Agora aqui estou eu, sozinha comigo mesma, e repetindo em minha cabeça que é só o escuro, e dele não vai sair nenhum monstro. Mesmo querendo correr amedrontada, eu me obrigo a permanecer parada, controlando-me. Eu reconheço que cresci e que não posso mais te deixar resolver minha vida, como era antes. Tenho que trilhar minha própria estrada mesmo sabendo que, de vez em quando, eu vou dar uma fugidinha para seus braços acolhedores. Mas isso não poderá acontecer com a mesma frequencia mais. A vida continua comigo e daqui para frente seremos apenas eu e minhas conclusões, meus passos perdidos e minha circunstância. Enfrentando as consequencias de meus erros e aprendendo com meu tropeços, eu sigo sozinha. 
Estou começando a andar com meus próprios pés, aprendendo a caminhar carregando meus pesos comigo e não deixando mais minhas malas nas suas costas. É assim que tem que ser agora. Já estava na hora de nossas mãos se separarem e eu atravessar a rua sem sua orientação. É só que eu estou insegura, com medo e cheia de incertezas. Mas não quero ver seus olhos preocupados, porque quero vê-los sorrindo com orgulho. Mesmo tendo plena consciencia de você me olhando, acenando com uma mão e desejando com todas as forças para que dê tudo certo, eu quase fracasso e corro de volta. É, eu sei que isso é tolice minha. Ainda assim, quero que saiba que eu estou até feliz de saber que consigo lidar comigo mesma. E eu vou te deixar só para poder continuar com minha vida, a partir do ponto em que você a entregou totalmente a mim. Vou sentir saudades e as lembranças sempre vão doer um pouco, mas agora é a hora de aceitar as mudanças. Agora é a hora de ser gente grande e deixar para trás esses medos infantis. É o momento de trocar as lágrimas por conquistas, de aprender ser forte e seguir em frente. É hora de crescer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)