terça-feira, 2 de novembro de 2010

Deixa

Deixa, porque eu deixo. Beija, porque eu não ligo.
Deixa as coisas fluírem, porque eu perdi o medo. Eu perdi a razão e os motivos, e danem-se eles.
Me pega pela mão e não precisa de palavras quando temos as estrelas para falar por nós. Finge que não tem amanhã, e vem viver o agora comigo.
Me deixa olhar nos seus olhos e te sorrir um pouco, porque não faz mal.
E não me pergunte mais porque, venha e me leve para onde possamos ser apenas dois perdidos.
Não vou te dar razões, não tenho motivos. Venha, porque eu quero que você venha. E corresponda ao arrepio dos meus braços descobertos.
Embora você não saiba o que dizer, eu não estou me importado com nada esta noite. Mesmo que não haja tempo suficiente, nós sabemos que nunca vai haver, e eu sempre vou querer só mais um pouquinho de você. Então deixa ser. Porque eu me permito. Não pense muito no que vai acontecer, e deixa apenas tudo caminhar.
Não quero pensar no que pode ser quebrado pela manhã; eles sempre encontrarão uma forma de falar.
E a areia está tão convidativa. Não precisa de razão para nós apenas ficarmos bem hoje. Você também quer que eu vá até aí e te impeça de ir embora? eu vou. Não faça juras de amor, porque não vamos prometer nada esta noite. Só fique aqui comigo e não tire seus olhos de mim. Nunca tire seus olhos de mim hoje. E deixa, que o resto se resolve sozinho.
Eu só te quero livre aqui, como você me quer também. E já dizia a Marisa, como o tempo vai e o vento vem.




"Me dá um beijo então, aperta a minha mão.
Tolice é viver a vida assim, sem aventura.
Deixa ser, pelo coração..
Se é loucura então melhor não ter razão."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)