quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Clássico

Diga sim Julieta. Corra o mais rápido que puder, porque vai durar tão pouco e vocês terão tão pouco tempo.
Vá e diga que o ama. Em 3 dias as coisas vão mudar de lugar, e o navio mudará seu curso. Se o ama, e é ele quem você quer, então corra e voe para os braços que te esperam do outro lado do portão, para a voz que te chama logo abaixo da sacada.
Vá Romeu, pegue-a pela mão e leve-a para onde o céu toca o chão. Carregue-a nos olhos, e mostre as estrelas enquanto ainda há tempo. Mas sempre haverá tempo. Porque você sempre a amará.
Mas, mesmo assim, corra, e vá atrás do por-do-sol mais bonito, e chame-o de Julieta por ser tão espetacular. Assim como ela chama a lua de Romeu por serem ambos tão deslumbrantes.
Leve o amor na bagagem, as boas lembranças no coração e a saudade na memória.
E vocês viverão eternamente esses poucos dias. E amarão para sempre um ao outro até o veneno penetrar suas veias. Mas ninguém soube que, um dia, Romeu voltou em outro corpo, e disse que ainda deseja todo dia a mesma mulher. Disse que viajou a prazo pro inferno só por ela. E aceitou a vida como é.
Enquanto Julieta, perdida em outra geração, alegou que mudaria até mesmo seu nome, e viveria em greve de fome, por Romeu.
Mas quem diria que, um dia, seria clássica a então trágica história de um amor curto e mortal? Clássico porque tudo vira poesia, e até o mais doloroso dos últimos suspiros tornam-se belos diante dos olhos cegos do homem. Clássico por ser triste, dramático e trágico.
E depois dizem que o ser humano é racional.




Escrevi o que me veio a cabeça, e eu sei que está tudo jogado de qualquer jeito. Ignorem.

2 comentários:

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)