quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Isabela

Nós nunca fomos assim, do tipo amigas-inseparáveis. Acho que nem nunca fomos melhores amigas, apesar de que já estivemos bem próximas disso. Mas mesmo assim, eu sinto sua falta como se você fosse minha irmã.
Talvez seja até estranho isso. Porque sempre foi assim. Longe ou perto, você sempre foi aquela de sempre. Mesmo com tantas pessoas a nossa volta. E as vezes eu me pergunto: "Por que você?". Poderia ser qualquer uma, mas não é.
Eu não sei explicar o que nos une, mas só de saber que você existe e que está feliz, eu já fico feliz também. Como se houvesse uma ligação desconhecida, que me faz acreditar que nada nunca esteve entre nós duas e que fomos nós mesmas que colocamos algumas barreiras nessa amizade talvez por não termos mais tantos assuntos em comum. E eu entendo isso, ainda que não goste dessa distância; eu entendo que agora você tem suas amigas e seus segredos com elas; entendo que você tem um namorado e que nós duas crescemos, infelizmente, separadas. Mas eu queria mesmo que você me desculpasse por muitas vezes não ter te dado a atenção que devia. Me desculpasse por nunca ligar para você, quando você me ligava quase todos os dias só para bater papo. Me desculpasse por ter deixado você sozinha a maior parte do primeiro ano, sabendo que você não tinha ninguém conhecido na sua sala. E me desculpasse, antes de qualquer coisa, por não ser nem metade da amiga que você foi e ainda é para mim.
Me desculpa mesmo por nunca ter feito tudo o que você fez por mim.
Ah Isa! Você foi a única que esteve comigo no pior momento da minha vida, e isso não é algo que se esquece assim, fácil. Você foi a única que aceitou ser minha amiga naquela época em que eu era "a estranha'. E nada no mundo pode retribuir isso, nada mesmo.
Por isso tudo, só queria mesmo que você soubesse que tem um lugar insubstituível no meu coração da mesma forma que sempre teve. Porque eu amo você muito e o que mais gosto em você ainda está aí dentro do seu coração. Eu sei que pode parecer besteira, mas sinto que só você sempre me aceitou, de bom grado e sem pedir nada em troca, exatamente como eu sempre fui; meio idiota, meio tapada, meio palhaça-de-circo-mal-sucedido.
E nós nos tornamos amigas assim, eu sendo eu mesma e você sendo você mesma; sem adicionais.
Então eu acho que, antes de qualquer coisa, você precisa saber que, para mim, essa é a verdadeira amizade. Aquela que não exige mudanças, ou transformações. Esse é o verdeiro sentimento que une pessoas. Amizade que é amor, que é irmandade. Mesmo você sendo uma pessoa dez mil vezes melhor que eu, ainda assim, você continua aqui perto de mim.
Eu amo você, Isabela. Desse jeito, dessa forma. Exatamente como você é.
Para sempre, e sempre assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda ação gera uma reação. Eu agi, agora é vez de vocês reagirem. :)